segunda-feira, 28 de novembro de 2016

APRESENTAÇÃO DO LIVRO "POETAS NOSSOS MUNÍCIPES"



Comemorações do 23º aniversário 

da Biblioteca Municipal de Alhos Vedros, 

durante todo o mês de Novembro, com várias actividades. 

Ontem - domingo - 27 de Novembro foi a apresentação 

do livro "Poetas Nossos Munícipes".






A cerimónia começou às 16 horas, com a apresentação de uma rábula intitulada "Tia Anastácia" que divertiu todos os presentes. 

Na imagem acima a Senhora Maria de Fátima Flores, autora da rábula, que tem obtido imenso sucesso por terras portuguesas e já foi exibida internacionalmente. 
Também participou no livro com quatro trabalhos de sua autoria.

De seguida, o Presidente da Câmara Municipal da Moita chamou para a mesa um dos elementos do Júri Maria Eduarda Rosa e deram início à leitura dos trabalhos de poesia dos 26 participantes, elogiando os munícipes, pois houve participações de todas as faixas etárias, o mais novo com 34 anos, e a D. Arminda Ferreira com 88 anos. 

Na imagem a seguir, a Dra. Lurdes, da Biblioteca Municipal Bento de Jesus Caraça, da Moita, lendo a minha auto-biografia e de seguida chama-me para ler um dos meus trabalhos. 

Escolhi: Lugares do Mundo.






Na imagem a seguir, a D. Arminda Ferreira com 88 anos 

declamando um dos seus poemas. 

Mais participantes lendo os seus trabalhos.








Na imagem abaixo, quatro utentes/residentes 

do Lar Nossa Senhora da Boa Viagem, de Sarilhos Pequenos, 

que participaram com obras suas neste livro.






Ficou lindo o livro - foi uma surpresa para todos nós, 

que só ontem tivemos a possibilidade de o desfolhar 

e sentir o orgulho de lá encontrar os nossos trabalhos.

Muitos Parabéns à Câmara Municipal da Moita, pela iniciativa! 

Eu já tinha participado na 2ª edição. 

Alguns dos trabalhos que constam no livro.



sexta-feira, 21 de outubro de 2016

FINALMENTE... FUI A UM PUB EM LONDRES



Há muito que eu ansiava por ir a um PUB, em Londres! 

Era a 3ª vez em Londres e nunca tinha entrado num Pub.. 

disse à minha amiga: - Leva-me a um Pub, please!!! 

e, assim aconteceu desta vez. 

Sendo a 1ª vez ...não fui a um qualquer, 

fui ao "THE ADMIRALTY" 

que fez agora em Outubro, 2 anos que abriu. 

. . .

Estavamos ambas cheias de fome, já eram 16h 

e, ela entra numa porta, eu sigo-a... 

não havia tempo a perder, queríamos era comer. 

Number 66

Bela escolha!






Subimos a lindíssima escadaria e fomos para o QUARTER DECK 

this is the mezzanine area 

Eu já tinha pesquisado em casa o que queria experimentar comer...

 algo muito usual em London: 

puré de batata com salsicha

"Bangers and Mash"

também já sabia que não queria "fish & chips", 

só que... 

a proposta da menina que nos atendeu foi excelente 

e... falou-me em "pies" - tartes. 

Ok, bora lá experimentar!




A minha amiga escolheu "fish & chips" 

e estava muito bem servido. 

Fiquei a saber que o fish era bacalhau...

...

O prato tradicional é composto pela "pie" 

e algum tipo de puré - é comum ser de batata. 

Muito londrino e delicioso. 

Agora este tabuleiro com a fantástica apresentação... 

ninguém resiste! 

Três diferentes cervejas, cada uma para acompanhar 

a diferente tarte salgada, 

cada tarte com um sabor diferente também. 

Dois pedaços de puré e, os respectivos molhos... 

MY GOD 

...àquela hora foi almoço, lanche e jantar






Cá estamos as duas, tão felizes pelo nosso reencontro 

- agora em terras de Sua Majestade! 

Eu já não dormia há mais de 24 horas, 

tinha feito uma directa... sair de casa às 4h 30m - 5h aeroporto; 

o voo às 7h da manhã, chegada às 10h 

e mais 2 horas de caminho de transfer do aeroporto 

ao hotel, etc... etc... 

mas, estava feliz e isso é que importa.


Como se pode ver pela imagem da Lista de refeições 

do Pub "The Admiralty", 

o que eu comi é mesmo o "prato especial da casa"!







Este Pub fica em Trafalgar Square

perto da Estátua de Nelson 

it's officially London's most central pub 

where the best of British pub food awaits... 


Recomendo!!!



sexta-feira, 30 de setembro de 2016

EM BUSCA DA NATUREZA



Onde quer que eu esteja
grandes capitais ou simples cidades
Impossível, não ir em busca da Natureza. 

Foi precisamente o que aconteceu, 
em Londres, a semana passada. 

No meio do trânsito, numa cidade como Londres, 
onde há imensa multidão e confusão à mistura 
Chegar a este oásis é uma benção!

Nota-se pelo Parque, a chegada do Outono 

Tantas pessoas que procuram este lugar para conviver, 
descansar e principalmente comer. 
Sim, fazem picnic em qualquer espaço verde 

Deliciei-me e ali fiquei a observar! 

Ao mesmo tempo, ia captando imagens, 
um canteiro de flores tão viçosas 
e o primeiro "esquilo" que vi, 
escondendo-se à procura de comida.









ST. JAMES é o parque real mais antigo de Londres. 

Como tenho tido problemas com o blogger, 
vou fazer a descrição do referido parque, no primeiro comentário a este post, 
peço desculpas a quem me visita, 
mas não encontro outra solução para esta situação.





O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar por caminhos
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de, vez em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...


Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...

Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo. Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender ...

O Mundo não se fez para pensarmos nele
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

domingo, 25 de setembro de 2016

CONQUISTAR A FELICIDADE



Fui conquistar a minha Felicidade, 

sim... tenho que o fazer de quando em vez, 

para ver se não entro em demência mais cedo do que o previsto.

... 

O que sei e sei muito bem, é que precisava de "IR" - não por aí, 

nem por cá... o que eu queria mesmo é evadir-me 

e caminhar solta ao vento, carregada pelas minhas emoções, 

meus desejos, meus sonhos, caminhar comigo, sozinha! 

Queimei todas as trancas, arrombei as portas 

Sou irmã das estrelas, viajo no Sol

Agarro-me no voo das águias. Fico em mim!

....

Para isso, tinha que apanhar um avião 

e estar lá bem alto, no meio das nuvens! 

Sentar-me entre desconhecidos

...

desejava "estar com as pessoas simplesmente", 

em que todos comungam da vontade 

em trocar experiências e saberes.

... 

O espanhol foi o idioma dominante durante uma semana

mas, nas conversas cruzadas, pelas ruas, vagueando

o inglês era a minha escolha 

como prova da aldeia global em que vivemos.




Pela primeira vez tive a sorte 
de estar sentada do lado em que 
consegui captar a "Ponte Vasco da Gama" 
foi um momento único e lindo! 

Uma hora antes 

eu tinha cruzado esta mesma ponte 
a caminho do aeroporto 
O meu coração batia descompassado, 
ansiosa por partir para outro destino. 

Logo de seguida vejo o Sol a espreitar, que maravilha!





Lindíssima visão! 

Eram pedaços grossos de algodão, ali junto a mim...

Finalmente "nas nuvens"

Que mais posso querer? 

PAZ 

Sim, PAZ






Precisava apagar tudo o que não vale a pena

quem mentiu - quem me enganou - quem tentou destruir-me

quem usou máscaras - quem me magoou - quem me usou...

. . .

De todas as viagens que fiz este ano, 

esta foi mesmo a melhor, 

pois era apenas EU, só EU e isso é bom demais!

...

Todos precisamos de ter momentos só nossos.

Não desejo isso, por ser fria ou dura com as pessoas que me rodeiam, 

mas faço para ser feliz e entender que Sozinha 

posso achar meios e métodos adequados ao meu ser e viver livremente 

num estado de tranquilidade e Amor dentro do meu Eu.

Tenho um mundo positivo ao meu redor, 
um louvor de amor com palavras de fé como elogios. 
Não simulo situações para intrigas, 
não desempenho discórdias e mentiras com máscara de santidade. 

Sou uma mulher como qualquer outra, que tem os seus desejos. 
Aquela mulher que luta pelos seus sonhos e vontades, perdoa até a forma mais decepcionante de perversidade. 
Sou assim, porque mesmo não agradando alguns, 
tenho amor dos que mais importam na minha Vida!

"Quando somos abandonados pelo mundo, a solidão é superável; 
quando somos abandonados por nós mesmos, a solidão é quase incurável..."

Existem momentos na vida das pessoas, 
em que as palavras perdem o sentido ou parecem inúteis, 
e por mais que eu pense numa forma de empregá-las 
elas parecem não servir. 
Então eu não digo, apenas sinto...

Não me importo que me chamem de louca. 

A minha história é tão intensa que me mantém de pé nessa vida passageira!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

VENEZA



MOMENTOS PERFEITOS às vezes, repetem-se! 
Já tinha estado em Veneza - no século passado, ou seja, 1995.
Foi uma visita relâmpago, num circuito - como todas as visitas de circuito, são. 
Desta vez, fui num cruzeiro 
o navio atracou e...fui a Veneza sozinha, estive lá as horas que quis 
e vi apenas o que quis ver, sem andar "comandada" por alguém. 
Nestas primeiras imagens vê-se a chegada do navio de cruzeiro a Veneza - um monstro dos Mares a deslizar pelo CANAL - ao lado, barquinhos tão minúsculos para quem está no 15º piso do navio... 
é impressionante a largura do CANAL - há espaço para todo o género de barcos.
Na 2ª imagem o navio estava a posicionar-se para "estacionar"... 
Fabuloso! Como um navio desta envergadura parece um barquinho fácil de levar até ao lugar que lhe estava destinado, próximo de outros monstros do Mar.

Veneza é uma cidade no nordeste da Itália situada sobre um grupo de 117 pequenas ilhas separadas por canais e ligadas por pontes. 
Ela está localizada na pantanosa Lagoa de Veneza, que se estende ao longo da costa entre as bocas dos rios Po e Piave
Veneza é famosa pela beleza de sua arquitetura e obras de arte. 
Uma parte da cidade está como Patrimônio Mundial, juntamente com a sua lagoa.
Veneza é a capital da região de Veneto
Junto com Pádua e Treviso, a cidade está incluída na área metropolitana de Pádua-Treviso-Veneza (PATREVE), com uma população total de 2,6 milhões de pessoas.




Uma entrada em Veneza completamente diferente.

Nem por estrada, nem por comboio, nem de avião! 






Impressionante o movimento de barcos no CANAL 
(no lado esquerdo da imagem vê-se o navio, de onde estou a captar a foto)

Na imagem abaixo o Hotel Hilton 

A chegada dos turistas e das bagagens toda feita por barcos.




VENEZA é uma cidade que se você quiser “apenas” se perder por suas ruas, pontes e canais, já terá conhecido a sua grande beleza: 
a cidade em si e a sua viagem no tempo.
As principais referências para um turista que chega pela primeira vez a Veneza são: 
o Grande Canal (logo à saída da estação de comboio dá de caras com ele), 
a Praça San Marco e a Ponte Rialto: os 3 cartões postais mais conhecidos. 
Se por acaso se “perder” por lá (e isso acontecerá), 
siga as placas que há em quase toda parte: per Rialto ou per San Marco.
Bem verdade... quando quis regressar à Praça de San Marco foi mesmo este o conselho que me deram e fui lá ter na boa.
Rialto: a ponte mais conhecida de Veneza, foi construída entre 1588 e 1591, sendo uma das três pontes que cruzam o Grande Canal, fazendo a ligação aos distritos de San Marco e San Polo. Fotos clássicas são tiradas ali! Todos os dias de 9h às 12h há o Mercado Rialto do lado de San Polo, no Campo da Pescaria.



É sempre uma sensação especial 
poder ver os gondoleiros com as famosas gôndolas!

Abaixo, mais parece um engarrafamento de gôndolas.




Aconselho a visita à Basílica di San Marco: construída no século IX para guardar o corpo de San Marco (que está debaixo do altar). A entrada é gratuita, mas se quiser visitar  o Pala d’Oro (2 €), o Tesoro della Basílica (3 €) ou o museu (4 €), tem que se pagar. Aberta todos os dias das 9:45h às 17:00h e domingos das 14:00h às 16:00h. Não é permitido a entrada com mochila, bem como pernas e ombros de fora.
Palazzo Ducale: serviu como residência oficial para os duques de Veneza, além de prisão e sede do governo. Localizado ao lado da Basílica di San Marco, está aberto todos os dias das 9:00h às 18:00h. Preço:16 €. Durante a visita será possível atravessar a ponte dos suspiros, que ligava o palácio à prisão e único local onde os prisioneiros podiam ver a luz do sol.
Para me deslocar do porto, onde o navio estava atracado até ao centro da cidade tive que apanhar o Vaporetto: são os “autocarros” de Veneza. Como a cidade é toda recortada por canais, é este tipo de embarcação que faz o papel de autocarro, com pontos espalhados por toda parte. 



É apenas um  cheirinho de Veneza, muito mais tenho para mostrar 
(fotos captadas do alto da Ponte)

Se realmente quer gastar pouco numa refeição em Veneza, uma sugestão é passar nalgum mercadinho e comprar pão, bebida e algo para pôr na sanduíche. Os funcionários da parte dos frios já estão tão acostumados a isso, que geralmente se oferecem para preparar tudo.
Outra opção razoável é a pizza. A fatia custa em média 2,50€ e uma inteira entre 6,50€ e 16€, dependendo, claro, do sabor escolhido. Mas se quer realmente economizar, peça para levar, pois na maioria dos lugares comer na mesa é mais caro do que se você levar ou comer ao balcão.
Veneza é uma cidade pequena, portanto, é possível percorrê-la toda a pé tranquilamente, até mesmo porque o melhor modo de conhecê-la é se “perder” por suas ruas labirínticas. 

segunda-feira, 18 de julho de 2016

SOU FELIZ... ASSIM....



SOU  FELIZ...  ASSIM.... 

1 - Sou Feliz... viajando, no Outono 
e conhecendo novos lugares 

2 - Sou Feliz... fotografando 
e, neste caso, ganhando prémios!



3 - Sou Feliz... criando "desafios" a mim mesma!

Desafios que podem ser: 

 - participar na 3ª edição de "Poetas Nossos Munícipes" 

- construir fotobooks com fotos de minha autoria. 

Já tinha participado na 2ª edição de 

"Poetas Nossos Munícipes", em 2009. 

Mas, nesse ano tinha entrado para um novo trabalho e não me sentia "à vontade" para pedir para faltar 1 dia, quando foi a cerimónia do lançamento do livro 

- imaginado eu, que passaria despercebida no meio de tantos participantes. Puro engano!

Não é que uma das minhas poesias foi escolhida 

para ser lida, por um dos jurados, 
pois no meio de tantas, destacou-se...
e, fez correr algumas lágrimas.

E, destacou-se, porquê? Digo eu... 
porque eu não sei escrever sem "sentir" 
- tudo que escrevo é quase uma autobiografia 
e as emoções estão ali, à flor da pele. 

Este ano, só soube da 3ª edição, dois dias antes de terminar o prazo de entrega dos trabalhos. 

Pensei: Tenho que participar! 

Pois, eu não sou muito de... 
Ah, era giro participar, mas...
Ah, é uma ideia, mas... 

Graças a Deus, sou muito decidida!

E, se assim pensei, melhor o fiz. Isolei-me do Mundo, fiquei no meu canto, comecei a escrever e algo saiu. 





No início de 2015 decidi que havia de fazer 

alguns fotobooks para recordação das minhas viagens 
e assim o fiz.

Fiz vários e ofereci alguns! Foi um sucesso.

O meu afilhado tinha ido a Paris e, logo pensou: 
O meu álbum das fotos de Paris 
podia ser feito pela minha madrinha, porque não? 

Enviou-me as suas fotos da viagem...e, tudo parecia fácil.

Só que... a empresa onde tinha feito os outros 
tinha fechado e...

Lá andei um pouco perdida, à procura de outras empresas, mas...tudo muda de empresa para empresa. 
São formatos diferentes e, comecei do nada. 
Tudo novo para mim. 

Mais um desafio! 
Só que, pensei: Vou fazer dois diferentes, um para ele e outro para mim, já agora estou curiosa de ver como fica...

E, em Março passado pus mão à obra!

Aqui estão imagens do dele, 
com uma foto de Paris, na capa!

e, do meu... 
totalmente diferente, na capa, no formato, enfim...

 





o mais importante é que ele adorou 

e eu fiquei orgulhosa do meu trabalho...

Mas, nem sempre a Vida é fácil... 

às vezes vou-me abaixo, como o comum dos mortais!

 Aconteceu que, em Janeiro procurei a pessoa responsável pela parte cultural da Biblioteca da Moita 
e, propus fazer uma exposição, 
para mostrar algumas das milhares de fotos que tenho 
e, escolhi o tema: "Gente do Mundo" 

Seria diferente! 
Aproveitando o facto de eu ter oportunidade de ver outras culturas e outras gentes, das inúmeras viagens que já fiz. Mas... fiquei-me só pela conversa e promessa. 

Não concretizei a minha proposta. 

Perco a energia, pois todos nós precisamos de ser incentivados e, depois acarinhados, acompanhados...
é isso que falta na minha vida. 

Vivo mesmo muito SÓ.




Esta seria uma das fotos para a exposição, 
foi captada no Outono passado, em Friburgo. 

Gosto de estar em contacto com outras pessoas, meter conversa com elas e apreciar o seu modo de vida.




e, termino com dois pensamentos: 

SIM, é verdade - não adianta ter só vontade, 
porque depois não tive a coragem...

E, este pensamento é para aquelas pessoas 
que me dizem, muitas vezes. 
És forte, tens uma força...! 

Pois... mas esta "Força" que falam, 
não provém da capacidade física, 
mas SIM de uma vontade indomável.