sábado, 5 de abril de 2014

WALDECK PYRMONTLAAN foi o meu poiso


Finalmente chegou o dia e a hora
a caminho de Amsterdam, cedo...dormi apenas 2 horas, tal era a euforia
...
Um vôo maravilhoso, uma chegada fantástica, recolhi a mala e procurei transporte
tudo fácil, lá fui eu apanhar o bus 197 a caminho de Amsterdam
depois da agência de viagens ter tido a ousadia de me pedir 110€ por um transfer privado (ida e volta)
eu consegui fazer a festa por apenas 10€ (ida e volta)
como tenho sempre dito - viajar não fica tão dispendioso como parece
temos que pesquisar, procurar e achar o mais adequado às nossas bolsas
Quem quer ser comodista e que apareça tudo feito, então sujeita-se a pagar balúrdios
Lá fui eu no bus, com um papel na mão onde estava escrito o nome da paragem onde tinha que sair, nomes compridos...eles usam, e na outra mão um mapa que tirei do google com as ruas e assim seguindo estas indicações e andando uns 20 minutos a pé, cheguei a esta rua WALDECK PYRMONTLAAN e procurei o hotel. 
Check-in feito e toca a pagar a taxa da cidade...
Ah pois, eles não brincam - já muitas cidades da Europa cobram uma taxa diária da cidade que é paga localmente, à chegada ao hotel.
Tinha um simpático e confortável quarto à minha espera, num bairro residencial.



Já é meu hábito nessa primeira tarde, fazer o reconhecimento da zona onde vou ficar instalada, neste caso um bairro residencial muito sossegado. Procurar o que existe nas redondezas, supermercados, restaurantes, transportes, enfim...tudo que vou necessitar.
Estava um frio e vento gelado, mesmo com 4 camisolas sobrepostas o frio chegava à pele, regresso ao hotel para me agasalhar um pouco mais...
OK, agora estou pronta para ir à descoberta e fotografar todos os cantos e recantos.
Aqui mostro a arquitectura desse bairro, o estacionamento para várias bicicletas à frente de cada edifício e a Primavera a fazer-se anunciar.
Todo o estacionamento automóvel é pago pelos moradores, nada de borlas só porque quer estacionar o seu carro à porta de casa...





Aqui mostro a forma como os andares estão assinalados neste prédio, que é o nº 4 e todos os 5 pisos estão visíveis junto à porta de entrada do prédio



6 comentários:

Crocheteando...momentos! disse...

Conheço Amesterdão e foi uma das cidades que mais gostei quando viajei pelos Países Baixos!
Foi bom recordar e viajar consigo!!! Bj

lino disse...

Para o frio não contem comigo. Estive em Amsterdão em Fevereiro, há uns 15 anos, e apanhei 10 graus abaixo de zero, mas foi em trabalho. E na manhã do segundo dia tive de ir tomar banho ao quarto de um colaborador que foi comigo, porque a misturadora da torneira estava avariada e a água saía quase a 90 graus. Desde então, a primeira coisa que faço quando chego a um quarto de hotel é testar as torneiras.
Beijinho

Sofá Amarelo disse...

Mais uma reportagem completa (texto, imagem, sugestões) a deixar no ar a vontade de enveredar pelo mesmo caminho e fazer tal viagem, agora com vantagem para mim, pois seria só seguir os teus passos como viajante do mundo. Excelente! Obrigado. Continua...

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Já por aí estevi há uns belos anos... Belas fotos e explicação :)

DE-PROPOSITO disse...

Todo o estacionamento automóvel é pago pelos moradores
-------
Pois é!,... mas certamente têm dinheiro para isso. Por aqui (Portugal) muita gente nem dinheiro têm para comer (e mais não digo).
----------
Que a felicidade possível ande por aí.

Nilson Barcelli disse...

Amesterdão tem coisas bonitas e interessantes para ver e visitar.
Estive lá 4 dias e acho que não vi tudo.
Fizeste uma boa reportagem, como sempre.
Querida amiga, tem um bom domingo e uma boa semana.
Beijo.