sábado, 31 de outubro de 2015

BERLIM - KURFURSTENDAMM


Mais "MOMENTOS PERFEITOS"

Finalmente chegou o dia de ir até BERLIM...

como sempre, assim que faço o check-in, 
despacho as malas e passo a Alfandega, 
fico a levitar e esqueço tudo de Portugal. 

Só assim eu consigo curtir a viagem a 1000% 

Isto de ir fazer um circuito tem muito que se lhe 
diga - cada vez mais as operadoras criam programas 
com manhãs, tardes ou mesmo dias livres, 
para que o turista pague 
excursões opcionais extra-programa. 

Eu sozinha tenho que me desenrascar, ninguém me orienta seja no que 
for - é chegar ao destino e levantar a bagagem e caso ela se extravie, 
toca de desenrascar e ir fazer reclamação...tudo sozinha...
o que está incluído (algumas vezes) é o transfer! 

Saio da porta de desembarque e vejo um alemão altíssimo 
e cara de poucos amigos com uma placa que diz TRAVELPLAN 

dirijo-me a ele e, apresento-me... 
como não havia mais ninguém lá vamos nós porta fora 
e ele resmunga algo em alemão que me pareceu Táxi 
e dirige-se à máquina de pagamento do parque de estacionamento...

eu, empurrando as malas, mochila às costas, sem qualquer espécie de ajuda, 
vejo um táxi beje e dirijo-me; lá vem ele, abre a porta de uma van de 9 lugares, 
ele ao volante e eu lá atrás... leva-me por auto-estrada kms e kms e penso: 
para onde me levará? 
Será engano? 
até que, muito caladinha, começo a avistar uns edifícios 
que parecem ser de uma cidade, 
após 25 minutos de ver só estrada e mais nada... 

Depois reconheci o nome do Hotel e fiquei mais descansada. 

O Guia Javier veio receber-me, teve uma conversa comigo e logo disse: 

Hoje tem o resto de DIA LIVRE, não há jantar, 

apenas amanhã tem o pequeno-almoço 

e vamos fazer o tour panorâmico pela cidade. 

Ora pois, lá vou eu com as bagagens até ao quarto, largo tudo, 

mochila às costas e pernas a caminho para descobrir os arredores. 

Por acaso, a avenida paralela a esta onde estava o Hotel, 

era nem mais nem menos a principal avenida de Berlim - Kurfürstendamm. 

Assim tem início a minha aventura!



Ui... sapatinhos a um preço proibitivo!

...

Estava cheia de fome, apenas tinha comido o snack que a TAP serve no voo... 

às 10h da manhã e já eram 16h...

Mas, como entender o que aqui está escrito? 

nem uma palavrinha em inglês, possas!!!





e eu continuava pela Kurfürstendamm


acho que nunca tinha visto uma cidade europeia com tantas ou mesmo 

mais bicicletas que Amesterdão... em Berlim 80% das pessoas usam a bicicleta 

como meio de transporte, faça sol ou faça chuva... um dia por 12€ 

(esta foto à porta de um hotel, mas quase todos os hotéis tinham 

o mesmo "rent a bike")



9 comentários:

tulipa disse...

ADORO ler MARTHA MEDEIROS.

Vejam só o que ela escreve sobre quem viaja:

Muita gente diz que adora viajar, mas depois que volta só recorda das coisas que deram errado. Sendo viajar um convite ao imprevisto, lógico que algumas coisas darão errado, faz parte do pacote.
Desde coisas ingratas, como a perda de uma conexão ou ter a mala extraviada, até xaropices menos relevantes, como ficar na última fila da plateia do musical ou um garçom mal-humorado não entender o seu pedido.
Ainda assim, abra bem os olhos e veja onde você está:
em Fernando de Noronha, em Paris, em Honolulu, em Mykonos. Poderia ser pior, não poderia?
Estão assistindo a um show de música no Central Park, mas não tiram o olho do Ipad. Vão ao Rio, mas têm medo de ir à Lapa. Estão em Buenos Aires, mas nem pensar em prestigiar o tango – “programa de velho!”
São os que olham tudo de cima, julgando, depreciando, como se o fato de se entregar ao local visitado fosse uma espécie de servilismo – típico daqueles que têm vergonha de serem turistas.

tulipa disse...


e, continua:

É muito bacana passar um longo tempo numa cidade estrangeira e adquirir hábitos comuns aos nativos para se sentir mais próximo da cultura local,
mas quem pode fazer essas imersões com frequência?

Na maior parte das vezes, somos turistas mesmo:
estamos com um pé lá e outro cá. Então, estando lá, que nos rendamos ao inesperado, ao sublime, ao belo.
Nada adianta levar o corpo pra passear se a alma não sai de casa.
(Martha Medeiros)

Há lugares que dão a impressão de que há um para sempre.

Cidades que resistem há séculos apenas com pequenas alterações.
Aquele castelo da idade média, aquela igreja romana, aquele templo grego. Como se a vida pudesse ser vivida sem mudanças e sem traumas.

Lugares dos sonhos de alguns que morrem de medo do inesperado, do novo e do desafiador. Para esses que buscam a morna paz da continuidade Berlim não é o lugar ideal.

Sofá Amarelo disse...

Excelente descrição dos preparativos e de uma viagem que mais uma vez é um marco nas tuas muitas viagens. E todas estas indicações são óptimas para quem viaja. Eu viajo pouco mas algumas vezes já aproveitei dicas de quem sabe como viajar e desfrutar aquilo que a vida oferece de melhor: correr mundo e conhecer ambientes e pessoas que de outra maneira só na TV.
Obrigado pelo teu "diário", e pelas tuas palavras confirmo que uma das melhores coisas destas viagens é só dar umas escapadinhas daquilo que está programado, como não acompanhar obrigatoriamente os grupos.
Excelente. Continua :-)

Ana Simões disse...

Devo dizer-te que me diverti imenso ao ler o teu texto. Está escrito com muita informação de bastante utilidade, mas senti, até nos momentos de alguma tensão ( como a da viagem de carro com o alemão ) uma pontinha de humor muito saudável. Adorei !
Depois.. adorei ler Martha Medeiros, que tal já te disse, raramente leio ... e eu adoro ler... vou mesmo ter de lê-la, despertaste em mim essa vontade.
Agora a tua experiência. Antes demais, parabéns pela tua coragem. Já tos dei diversas vezes mas nunca é demais pois tu mereces mesmo! Áh mulher de garra... teria lá eu coragem de me meter numa viagem assim.. sozinha... já fui sozinha como sabes... mas tinha alguém á minha espera, alguém muito chegado... aventurei-me sozinha pela cidade de frankfurt como sabes, mas meter-me numa aventura destas .. hum não creio.
Olha eu defronte da ementa.. bem morria de fome.. sendo vegetariana lá me saia uma salsicha de carne rss Os sapatos.. baratíssimos !! ehehe. Agora fora de brincadeiras, gostei bastante deste post, aguardo o resto da viagem... :) beijinho

disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tulipa disse...


GENTINHA.... COITADINHA.......é de TER DÓ...

Vários amigos já me disseram para fazer MODERAÇÃO DE COMENTÁRIOS para que GENTE INTRUSA não venha deixar comentários tristes como este...

Mas, sempre disse NÃO, NÃO FAREI moderação de comentários
pois assim é visível e PÚBLICO o que GENTINHA INVEJOSA e COBARDE sabe fazer...

Não fazem mais NADA na VIDA a não ser CUSCAS e INTRIGUICES

GENTE FÚTIL e que não sabe ser útil em nada, nem para escrever um comentário
TÊM QUE SE ESCONDER........ATRÁS de um NOME FALSO

Poderia responder a estas palavras ABSURDAS mas era preciso que eu quisesse

as pessoas só têm a importância que lhes damos, por isso você é LIXO

apenas deixei ficar o comentário para que os outros vejam!!!

Sofá Amarelo disse...

Eu passei a fazer moderação de comentários quando num blog em que tinha cerca de 500 visitas por dia, nos finais de 2008 apareceu alguém com impropérios e ofensas. Calculei quem era (consegui confirmar uns 2 ou 3 anos depois), e fiquei tão triste que depois fechei-o e acabei por criar este. Mas não o devia ter feito, pois a outra pessoa (alguém por quem eu tinha feito tanto, e tinha inclusive ajudado), não merecia sequer que eu voltasse a olhar para ela. Ainda teve o desplante de me enviar um mail a perguntar o que se passava com o meu blog... depois acabou por descobrir o novo mas creio que nunca mais tentou nada. Agora sei que entretanto casou, tem uma filhota e espero que seja muito feliz.

Mas sobre as tuas viagens, sei que as fazes porque és uma óptima gestora dos teus recursos, que penso não serem muitos. Mas como planeias as coisas a longo prazo, consegues obter preços de viagens e estadias algo em conta. E depois se calhar não és consumista como a maior parte das pessoas que passam a vida a comprar coisas de que não precisam para nada... e só desejo que continues a fazer essas viagens enquanto tiveres saúde, porque sei que és feliz assim, e ainda consegues dar atenção aos teus netos, o que muitos avós que o podiam fazer não fazem. Beijinhooo :-)

tulipa disse...


ALEX
MUITO OBRIGADO pelo teu comentário.

Tocaste em 3 pontos muito importantes:
1 - Mas sobre as tuas viagens, sei que as fazes porque és uma óptima gestora dos teus recursos, que penso não serem muitos.

2 - E depois se calhar não és consumista como a maior parte das pessoas que passam a vida a comprar coisas de que não precisam para nada...

3 - e ainda consegues dar atenção aos teus netos, o que muitos avós que o podiam fazer não fazem.

TU, EU e DEUS sabemos como tudo isso é verdade.
O resto é lixo.

tulipa disse...


1 - Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima!
(Arthur Schopenhauer)

2 - Quem afirma que não é feliz, poderia sê-lo com a felicidade do próximo, se a inveja lhe não tirasse esse último recurso. (Jean de la Bruyere)

3 - A inveja é tão vil e vergonhosa que ninguém se atreve a confessá-la. (Ramón Cajal)