domingo, 27 de dezembro de 2015

ART 'OTEL BERLIN CITY CENTER WEST dedicado à obra de ANDY WARHOL


A propriedade Art'Otel Berlin City Center West By Park Plaza localiza-se em Berlim próxima de atracções como Kurfürstendamm e Fasanenstrasse Synagogue. 
Este hotel de design disponibiliza elegantes quartos com televisão por satélite, um restaurante internacional e acesso Wi-Fi gratuito no moderno bairro de Charlottenburg, em Berlim. 
Encontra-se apenas a 300 metros da rua comercial Kurfürstendamm, com as suas lendárias boutiques e lojas de designers. 
O art'otel berlin kudamm é dedicado a Andy Warhol e oferece uma visita guiada gratuita para explicar a sua obra. 
O hotel providencia quartos climatizados e 250 obras de arte e fotografias tiradas por Christopher Makos, que era o melhor amigo de Warhol. 
Os Quartos Arte e as Suites Arte exibem a arte pop de Warhol e apresentam acesso Wi-Fi gratuito, televisão por satélite e luxuosos produtos de higiene pessoal Elemis gratuitos. 
O Bar Factory foi concebido em torno do conceito da comida de rua de Nova Iorque, enquanto o bar em mármore e o pátio descontraído são os locais perfeitos para saborear um cocktail exclusivo. 
A Estação de Metro de Uhlandstraße e o Teatro am Kurfürstendamm encontram-se a 5 minutos a pé. 



a 1ª imagem é o candeeiro do quarto
restante decoração do quarto onde pernoitei


O Portão de Brandemburgo, ou Porta de Brandemburgo (em alemão: Brandenburger Tor), é uma antiga porta da cidade, reconstruída no final do século XVIII como um arco do triunfo neoclássico, e hoje um dos marcos mais conhecidos da Alemanha.
Está localizado na parte ocidental do centro da cidade de Berlim, no cruzamento da avenida Unter den Linden e Ebertstraße, imediatamente a oeste da Pariser Platz. Um bloco ao norte fica localizado o Palácio do Reichstag. 
O portão é a entrada monumental para Unter den Linden, a famosa avenida de tílias que anteriormente levava diretamente ao Palácio da Cidade dos reis da Prússia.
Foi encomendada pelo rei Frederico Guilherme II da Prússia como um sinal de guerra e construída por Carl Gotthard Langhans entre 1788 e 1791.
Tendo sofrido danos consideráveis ​​na Segunda Guerra Mundial, o Portão de Brandemburgo foi totalmente restaurado entre 2000 e 2002 pela Stiftung Denkmalschutz Berlin (Fundação de Conservação dos Monumentos de Berlim).

Durante a partição da Alemanha no pós-guerra, o Portão estava isolado e inacessível imediatamente ao lado do Muro de Berlim, e a área ao redor do Portão se destacou mais proeminente na cobertura da mídia sobre a abertura do muro em 1989. 
Ao longo de sua existência, o Portão de Brandemburgo foi muitas vezes um local para grandes eventos históricos e é hoje considerado um símbolo da tumultuada história da Europa e da Alemanha, mas também da unidade e da paz europeia. 

Construída no estilo neoclássico no projecto de Carl Gotthard Langhans, possui doze colunas dóricas de estilo grego. Sendo seis de cada lado. 
Há cinco vãos centrais por onde passam cinco estradas. 
Sobre o arco está a "quadriga" (estátua da deusa grega Irene - deusa da paz, em uma biga puxada por quatro cavalos). 
Suas dimensões são: 26 m de altura, 11 m de profundidade e 65 m de largura. (visto de frente).






O Memorial aos Judeus Mortos da Europa também conhecido por Memorial do Holocausto é um memorial em Berlim para vítimas judias do Holocausto, projetado pelo arquiteto Peter Eisenman e engenheiros do Buro Happold. 

Consiste de uma área de 19.000 metros quadrados (4,7 acres) coberta com 2.711 blocos de concreto ou "stelae", parecendo com um campo ondulado de pedras. 

Os blocos são de 2,38m (7,8') de comprimento por 0,95m (3' 1,5") de largura e altura variada desde 0,2m até 4,8m (de 8" a 15'9"). 
De acordo com o texto do projeto de Eisenman, os blocos são desenhados para produzir uma intranqüilidade, um clima de confusão e a escultura toda ajuda a representar um sistema supostamente ordenado e que perdeu o contato com a razão humana. 
Uma cópia de 2005 de um panfleto turístico oficial inglês da Fundação para o Memorial, porém, afirma que o projeto representa uma aproximação radical ao conceito tradicional de um memorial, em parte porque Eisenman não usou nenhum simbolismo. 
Um anexo subterrâneo "Local de Informação" guarda os nomes de todas as vítimas judias conhecidas do Holocausto, conseguidos através do museu israelense Yad Vashem. 
A construção do memorial teve início em 1 de abril de 2003 e foi concluída em 15 de dezembro de 2004. Foi inaugurado em 10 de maio de 2005 e aberto ao público em 12 de maio do mesmo ano. 
Está localizado a um quarteirão ao sul do Portão de Brandemburgo, perto da Potsdamer Platz, numa distância que pode ser vista do parlamento federal alemão. O custo da construção foi aproximadamente de €25 milhões.



13 comentários:

tulipa disse...


art'otel berlin kudamm features Andy Warhol art - Conveniently located near ICC Berlin and the Ku'damm, a major shopping destination, the distinctively designed art'otel berlin kudamm displays original artworks by famous Pop artist Andy Warhol and offers guests a variety of amenities, including free Wi-Fi.

Keep well-rested during your stay at this central, boutique-style Berlin hotel in a spacious room featuring Warhol prints, modern décor, flat-screen TVs and plush bedding.
Ideal for both leisure and business travellers, these accommodations in Berlin offer private parking, comprehensive business services, a fitness room and a brand-new sauna facility.

With its trendy, art-inspired design, comfortable rooms and first-rate amenities, the art'otel is one of the top Berlin city centre hotels.

Existe Sempre Um Lugar disse...

A melhor maneira de sair é seguir em frente com motivação, FELIZ ANO 1016.
AG

Sofá Amarelo disse...

Há um Hotel em Lisboa, no Cais do Sodré, onde cada quarto é dedicado a um dos grandes escritores portugueses. Em vez de terem números, os quartos têm o nome dos escritores, com frases, citações, fotos ou pinturas dos mencionados.
No Porto, o B&B é dedicado ao cinema, e então por todo o lado, quartos, corredores, casas-de-banho, etc, etc, têm fotos enormes de cenas clássicas de filmes.
Mas esse de Wharol deve ser o máximo, sim.
Excelente descrição da Porta de Brandenburgo - que eu não conhecia - que durante tantas décadas separou dois mundos e milhares de famílias. Assim, dá gosto viajar, porque não vais só por ir, interessas-te pelos locais e trazes informação que muitas vezes não nos chega por outras vias. Obrigado e continua :-)

São disse...

Só não entendo a razão do silêncio sobre todas as vítimas não judias do nazismo , a começar pelo dos próprios judeus !!!


A reportagem está muito boa e eu nunca estive em Berlim.


Bom final de ano e feliz 2016 para si e quem desejar!

Abraço carinhoso

Ailime disse...

Boa tarde Ester, é sempre um privilégio para quem como eu não viaja por esse mundo fora conhecer locais tão belos e repletos de historia.
Tenho pavor de andar de avião e o meu sonho era conhecer as capitais da Europa de comboio. Não aconteceu e neste momento não me é muito propício!
Por isso fico-lhe muito grata por me proporcionar viajar consigo através das suas excelentes reportagens!
Desejo-lhe FELIZ 2016 com saúde, alegrias, amor e muita paz!
Continuação de muitas e boas viagens.
Beijinhos,
Ailime

Fá menor disse...

Votos de um óptimo 2016!

Fá menor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Manuel Luis disse...

Não basta sair ou viajar só por ir! Tomar notas, fotografar, conhecer a história do local também é viajar.
Um excelente ano para todos com saúde.
Bj e abraços.

Duarte disse...

Beleza e a arte de bem fazer as coisas.
Excelente.
Gosto.
Um forte abraço e um Bom 2016

Zé Povinho disse...

Começo por desejar um Bom Ano de 2016.
Excelente reportagem sobre uma cidade onde passei antes da queda do muro, mas sobre a qual pouco sei.
Grande abraço deste xamuar

Graça Pires disse...

Informação muito boa. Gostei de ler e pensar nesses acontecimentos que fazem parte do mundo em que vivo.
Um ANO BOM.
Um beijo.

Fernando Silva disse...

Um bom ano também para ti, especialmente com boa saúde e repleto de viagens e fotografias! :)

Ana Simões disse...

Interessante este conceito do hotel.
Mais uma viagem, mais uma aventura e muita recolha de conhecimento.
Gostei muito do modo como descreves a tua viagem e alguns pontos de Berlim.
É sempre triste recordar o horror que foi o holocausto ... mais triste ainda e completamente incompreensível, é o que leva um povo inteiro a submeter-se a um ditador, louco e desequilibrado... não foi o único, infelizmente.. mas nem vou entrar por aqui para não "estragar" a tua "reportagem"
Bonitas fotos e como sempre muito bem contextualizado.
Beijinho