sábado, 4 de junho de 2016

ACONTECEU.... ARTE XÁVEGA



Aconteceu... 

a minha primeira vez vendo e captando imagens numa praia da Costa da Caparica, devido à boa vontade de uma amiga que, me acompanhou e me levou aonde eu tanto queria... ao fim de dois ou três anos esperando este momento. 

A ti, Maria, muito obrigada.

A Arte Xávega é uma tradição que, de ano para ano, se vai perdendo em algumas praias no país, de que é exemplo a Nazaré onde se fazem recriações destinadas aos turistas. 

Assim que pisei o areal foi esta a imagem que vi, 

centenas de gaivotas não nos abandonaram durante duas horas.





Não podia pedir melhor final de dia!

Inicialmente umas nuvens negras fizeram pensar que nem pôr-do-sol iríamos ter

Engano... estes tons do céu e do mar azuis, mostram a sorte que tive.

Para ajudar, maré baixa e fazem-se belas imagens!





Neste caso foi o "Neptuno" que me proporcionou uma tarde maravilhosa.

Enquanto o barco não chegava 

os trabalhadores esperavam, olhando o MAR ... 




Eu ia captando imagens, esperando o barco! 

De repente, vejo alguém praticando um desporto engraçado. 




A xávega é uma pesca artesanal feita com rede de cerco e o seu equipamento é composto dum longo cabo com flutuadores, tendo na sua metade de comprimento um saco de rede em forma cónica (xalavar). 

Antigamente a recolha era feita com a ajuda de juntas de bois e força braçal, actualmente por tracção mecânica, dois tractores.

O xalavar é colocado no mar, longe da costa por uma embarcação, que vai desenrolando a metade do cabo, ficando uma das pontas do mesmo amarrada a um dos dois tractores intervenientes. 

Os pescadores efectuam o cerco aos cardumes de peixe em alto mar e retornam à praia desenrolando a outra metade do cabo para a sua extremidade ser enrolada ao segundo tractor.





A xávega termina com a chegada a terra e abertura do xalavar 
(saco de rede de forma cónica) que contém a pescaria.

Este tipo de pesca era praticado em várias praias ao longo da costa portuguesa, persistindo em algumas, como a Praia de Mira, Praia da Vieira, Praia do Pedrógão, Praia da Saúde e da Fonte da Telha na Costa da Caparica. 

A recolha do xalavar por tracção animal e força braçal, termina aproximadamente na década de 70 na Costa da Caparica. 

Actualmente em Portugal a xávega é efectuada por meios mecânicos.

A palavra xávega provém do étimo árabe xábaka, que significa rede. 

A denominação xávega era usada pelos pescadores do sul de Portugal. 

No litoral centro e norte praticava-se um tipo de pesca idêntico mas com muitas diferenças, ou seja: os barcos, diferentes na forma (crescente de lua) e no tamanho, também de fundo chato e com as suas proas bastante mais elevadas para melhor suportarem o ímpeto das ondas, tinham uma capacidade de carga muitíssimo maior do que os barcos do sul.




Ainda vi o "Neptuno" regressar ao Mar, mas já não esperei a sua chegada! 

O Sol brindou-nos com belos momentos 

... escureceu e regressei a casa, 

feliz por ter tido esta oportunidade... 



18 comentários:

tulipa disse...


A pesca por arte envolvente-arrastante,
onde se inclui a pesca com Arte-Xávega é regulamentada pela Portaria 1102-F/2000, de 22 de Novembro, alterada pela Portaria 244/2005, de 8 de Março.

A Xávega é definida pelas artes que a caracterizam (redes, barcos, etc.)
e não pelo método de tracção utilizado na alagem,
que inicialmente era feita por juntas de bois,
passando depois a ser feita por força braçal com o auxílio de aladores e tractores.

Maria disse...

Bela reportagem Maria ... :)

Sofá Amarelo disse...

Sei como te sentes porque eu também já passei por isso. Fui vários dias seguidos, completamente anestesiado com o enredo das redes e das gentes... e aproveitei, não uma, nem duas, mas três fotos que fiz lá para a minha última exposição que realizei em Outubro de 2014.
As tuas fotos estão fantásticas e complementadas pelo texto ainda ficam melhor. Parabéns e obrigado por me lembrares que tenho milhares de fotos desta arte e que ainda não utilizei...

João Menéres disse...

Parabéns por esta incursão na xávega !
Tens 4 ou 5 imagens muito boas !

Parabéns duplos e um beijo com os votos de bom fim de semana.

Graça Pires disse...

Gostei muito de saber tanta coisa sobre a xávega... Belíssimas fotografias. Obrigada.
Beijos.

Crocheteando...momentos! disse...

Já uma vez assisti e é maravilhoso!
Olhares belíssimos...bj

. intemporal . disse...

.

.

. um momento de liberdade . de libertação . entre.voos.rasantes . entre.pousos.esvoaçantes .

.

. um momento único . de fotografia . a perpetuar algo que (eu) desconhecia .

.

. um beijo meu .

.

.

Manu disse...

Fantásticas fotos com cores e movimento super interessantes.
Uma arte que já pouco se vê, mas que tu captaste muito bem.

Beijos Ester

Ailime disse...

Boa tarde Ester,
Magnificas fotos!
Adorei saber mais sobre a Xávega, essa pesca artesanal que momentos tão luminosos proporcionou.
Cada vez mais as suas fotos são de uma beleza incrível!
Os meus Parabéns!
Beijinhos e continuação de bom domingo.
Excelente semana.
Ailime
(Muito obrigada pelas suas visitas;))

Crocheteando...momentos! disse...

Amiga...comprei o maracujá dourado no Pingo Doce!
O sabor é suave...cada um custou 1,5€...mas gosto mais do maracujá normal!
A pitaia custa 3€...mas pelo exotismo...e sabor suave...adorei!
Bj amigo e venham mais olhares lindos

Fernando Silva disse...

Belas fotografias! A segunda, na minha modesta opinião, é extraordinária. O céu, o mar e a terra (neste caso a areia) "polvilhada" de gaivotas... em vários tons de azul. Magnífica. Fico contente por saber-te sempre em viagens (sejam curtas ou longas) a apreciar a natureza e a cultura popular portuguesa. Votos de um bom fim de semana :)

DE-PROPOSITO disse...

Belas fotos, e, bonitos ensinamentos.

Felicidades
MAMNUEL

Ana Simões disse...

É de facto uma maravilha fotografar e apreciar a bravura desta gente. Tb só ainda os consegui fotografar duas vezes, pois habitando longe e sem acessos fáceis da minha zona até lá fica difícil... fotografei-os a primeira vez, não era o Neptuno, há uns bons anos na época balnear mas não obstante a multidão que se juntava aos mesmos para os apreciar, consegui "bons" registos. No ano passado fui lá já fora da época de praia e aí foi este grupo / Néptuno/ que fotografei e a experiência foi bem melhor pois eram eles, nós e as gaivotas...
Gostei muito da descrição e das fotos.
É bom viver estes momentos perfeitos
Beijinho

Fá menor disse...

Belíssima reportagem!

Beijinhos!

Crocheteando...momentos! disse...

Maria...relativamente àquela montagem que gostou é o seguinte:
_ As fotos que eu tiro são do meu telemóvel... e como tenho a Meo Fibra...instalo um programa denominado Pip Editor e ele faz praticamente tudo!!!
No PC...nunca fiz!
Bj amigo

Crocheteando...momentos! disse...

As batatas golpeadas são fáceis de fazer:
_ Num tabuleiro que vá ao forno...coloque batatas novas...do mesmo tamanho e golpeadas sem chegar ao fundo para não partir a batata! Pode golpear até meio e com cortes à mesma distância!
Tempere com azeite ou óleo...sal...alho...louro e pimenta;
Leve ao forno...meia hora a 180.°

Bj

Jaime Portela disse...

Vi muitas vezes na Costa da Caparica o que tão bem descreves (anos 80, quando ainda era relativamente calma...). Para quem está na praia é muito interessante assistir. E, no final, comprar algum peixe para comer ao jantar...
Excelentes fotos, minha amiga, gostei imenso da tua reportagem de pesca.
Tulipa, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Duarte disse...

Que bonito!!!
Fiquei maravilhado. Que instantâneas!
Sim, é preciso estar ali no momento certo, mas mesmo assim é preciso arte e sensibilidade.
Abraços de vida. querida amiga.