domingo, 22 de abril de 2018

UM MOMENTO DIFERENTE E ESPECIAL




Continuando no Bairro Árabe 

e depois de ter visitado o "Istana Kampong Gelam" 

volto à Mesquita 

pois já estava na hora de poder visitá-la! 

Tudo para mim era novidade 

e estava curiosa por ver o seu interior, 

respeitando o espaço, perguntei se podia fotografar 

e disseram-me que sim, a custo zero. 

Tirei os sapatos, coloquei na prateleira no exterior

 e estava vestida de forma aceitável, foi só entrar...




Já lá dentro 

pedi a alguém que fizesse uma foto minha, 

para recordação!





Tudo lindíssimo 

e mesmo com imensos turistas sempre a entrar, 

o silêncio era mantido 

para respeitar quem estava em oração





Nestas duas imagens podemos ver alguns turistas 

que não vinham vestidos convenientemente 

e tiveram que usar roupas para tapar 

as partes descobertas do corpo

(fossem homens ou senhoras)




os tons verdes predominavam...





estas duas fotos são a prova da minha presença 

na Mesquita Masjid Sultan, em Singapura. 

O pé na alcatifa e o quadro em que está assinalado 

o dia, mês, ano e hora - 28 fevereiro 2018 às 2h 18m




Mostro agora, fotos de alguns pormenores da decoração, 

candeeiros, portões, portadas... 








interessante ver a concentração deste senhor...




quando saí da Mesquita reparei 

neste grupo de alunos de um colégio, 

vestidos com farda, que tinham ido fazer a sua oração 

e visitado a Mesquita Masjid Sultan, em Singapura. 



11 comentários:

tulipa disse...


Arab Quarter (Kampong Glam) a história e a atmosfera do bairro.

O Arab Quarter é o menor dos três bairros étnicos de Singapura
(Chinatown e Little India são os outros)
podendo ser percorrido em poucas horas.
A visita pode-se alongar um pouco mais se formos explorar as lojas do bairro e/ou aproveitamos para comer (lanchar ou mesmo almoçar ou jantar) num dos vários restaurantes, bares ou cafés ali existentes.

Podem chegar ao bairro apanhando o metro até a estação Bugis.
Sai da estação em direcão à Victoria Street e segue pela direita nessa rua. Cruzará a larga Ophir Road, depois a Arab Street
e entra-se na Jalan Pinang, uma pequena ruela em cujo final pode-se avistar a silhueta da parte posterior da Sultan Mosque ou mesquita do Sultão.

No final da Jalan Pinang, vire a direita na North Bridge Road.
Nesta parte da North Bridge Road concentram-se um grande número de restaurantes muçulmanos muito populares
e dependendo da hora do dia em que se passa por ali,
o movimento pode ser grande.
É um bom lugar para provar especialidades locais como o murtabak,
uma massa recheada com carne picada de cordeiro e assada na grelha.

tulipa disse...


A Sultan Mosque, ou mesquita do Sultão, é o ponto central do Arab Quarter (bairro árabe) de Singapura
e o motivo que atrai tantos muçulmanos ao mesmo.
Sua cúpula dourada pode ser vista de quase todo o bairro.

Quando Singapura foi cedida aos britânicos em 1819,
a área do Kampong Glam foi destinada aos malaios e outros muçulmanos.

O Sultão construiu um palácio na região e mandou construir uma mesquita também.
No começo do século XX, a mesquita tinha ficado pequena para uma Singapura que era um ativo centro de comércio e de cultura islâmica.

No centenário da mesquita foi então aprovada a construção de uma nova, a atual que foi finalizada em 1828.
Em 1975 foi declarada monumento nacional.

tulipa disse...


A Mesquita do Sultão, ou Masjid Sultan, localizada no Arab Quarter
(bairro árabe de Singapura), é um bom passeio para conhecer mais de perto como vivem os muçulmanos na cidade e como são suas práticas religiosas.

A mesquita foi originalmente construída em 1824 e, após reformas posteriores, ganhou a forma que hoje tem, com um enorme salão para orações e uma cúpula de ouro que chama a atenção.
Ela é um dos principais templos religiosos de Singapura
e ao seu redor existem vários restaurantes
e lojas onde você pode comprar uma lembrança da viagem.

O local está aberto a visitantes entre sábado e quinta-feira,
das 10h às 12h e das 14h às 16h
e sexta-feira, entre 14h30 e 16h.

Martha Scopel disse...

Parabéns, por suas descrições e pelas belíssimas fotos.

Graça Pires disse...

Gostei de a ver com o ar descontraído e de quem está a gostar do que visita...
Parabéns. Uma boa semana.
Um beijo.

Pedro Coimbra disse...

Também já me aconteceu - ir de calções e ter que usar uma espécie de saia dentro do templo.
São as regras e têm que ser cumpridas.
Já viu os projectos para o Aeroporto de Singapura (Changi)?
Fenomenal!!
Bjs

Sofá Amarelo disse...

Diria que este é o POST COMPLETO: registaste situações que nem nas revistas de viagem aparecem, registaste a abrangência dos locais, registaste pormenores de que ninguém se lembra de fotografar, Registaste a tua própria presença e ainda apreces tu na reportagem.

Se a isto tudo somarmos a excelente escolha das fotos, com muita cor e muita graça, e muito profissionalismo mas respeito, e ainda o texto informativo, então temos mesmo o POST COMPLETO e PERFEITO.

Parabéns. Este um dos teus melhores posts, embora seja quase impossível eleger o melhor. Continua :-)

Maria Rodrigues disse...

Que lindo local.
As fotografias como sempre estão excelentes.
Bom domingo
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Duarte disse...

Isto é outro mundo, e que arte!
Gosto, mas tenho preferência pelo clássico que nos circunda.
Abraços de vida

Miguel Correia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Simões disse...

Por acaso é algo que gostava de conhecer, era uma Mesquita. E até temos em em Lisboa... ao que me disse um dia a minha filha é lindíssima... um dia eu vou.
Mais um post replecto de arte, cultura e tradições.
Que bom saber que existe respeito.
Beijinho e parabéns