quinta-feira, 13 de setembro de 2018

FIM DO DIA... NA COSTA DA CAPARICA


Ao fim de dois anos voltei à Praia da Riviera, 

na Costa da Caparica, com uma amiga 

e lá fomos em busca dos homens, do barco 

e dos tratores para a pesca de ARTE XÁVEGA 

Antes de chegar junto deles, ia fazendo uns clics 

tal era a vontade de clicar... 

Tudo muito calmo, sereno demais, 

as gaivotas eram donas e senhoras do areal.




Cruzo-me com o carro do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN) 

organismo integrado na estrutura da 

Direcção-Geral da Autoridade Marítima e, com dois surfistas!




ADORO estar na praia, ao fim do dia, 

naquela hora em que partilho o espaço 

apenas com as gaivotas...




em que capto o traçado das rodas dos tratores





enquanto espero o momento do barco ir para o Mar, 

vou olhando para outros pormenores: 

as redes de pesca assim penduradas na borda do barco;

uma ou outra pessoa que vai molhar os pés;

as caixas que já tiveram o peixe dentro 

invadidas pelas gaivotas, pelo cheiro a peixe;






pessoas que vão chegando;

os pescadores conversando enquanto esperam 

pela mudança do vento, todo o aparato 

para acontecer uma quarta ida ao Mar...






nas imagens acima, 

gaivotas que já conseguiram o seu pitéu;

para ocupar o tempo enquanto se espera, 

esta senhora come uma bucha...




alguns pescadores jogam à bola





olho ao longe, vejo os prédios da Costa da Caparica 

envolvidos numa neblina (não vai haver pôr-do-Sol)

e, outra zona com barco, pescadores 

e tratores à espera de voltar ao Mar, 

mais dezenas de gaivotas 

que começam a preparar o seu descanso nocturno!




Bem agasalhadas e protegidas para a brisa nocturna, 

as duas senhoras continuam à espera 

que chegue a hora da faina!




No próximo post mostrarei o que se seguiu a estas imagens;
Aqui, termino com o contra-luz 

que foi possível na quinta-feira passada.



11 comentários:

tulipa disse...


Quero fim do dia,
pés descalços na areia,
a brisa do mar,
fim de tarde tranquilo,
sem relógio, despertador ou qualquer coisa que me mostre o tempo passando.

Quero sair de noite
olhar pro céu e ver estrelas,
ter tempo para ver como a lua é bela,
observar pessoas,
rir, pensar, viver, cantar, sentir.

Preciso de um tempo,
preciso me reencontrar em novos caminhos!

tulipa disse...


FELICIDADE é um fim de tarde olhando o mar...!!!

Ao fim da tarde, quando o sol se esconde,
poucas pessoas param e observam o tanto que o mundo tem a nos oferecer,
sem nos cobrar nada, e ainda há quem reclame.

O ser humano muitas vezes é mesquinho, é egoísta.
Pensa muito mais nele.
Pensa no que possui e no que quer possuir.

A sorte da humanidade é que ainda habitam neste mundo,
pessoas que com um simples gesto se enchem de alegria e esperança.
EU SOU UMA DESSAS PESSOAS.

O problema, é que ainda assim, o valor dado às pequenas coisas
é um sentimento presente numa parcela ínfima da população mundial,
e talvez seja por isso que ainda exista tanta miséria no nosso planeta.

Por isso, olhe o pôr do sol,
sinta o vento, olhe as ondas do mar,
observe a chuva cair,
não fique só esperando por presentes e bens materiais,
pois a sua própria vida e o que ela lhe oferece,
já é o maior de todos os presentes.

Rejane Tazza disse...

Tulipa, em cada foto podemos ver a tua capacidade de bem clicar e trazer! Adoro fotos marinhas ,do mar, seus homens, e as gaivotas deram show! Adorei! bjs, chica

Martha Scopel disse...

Relato e fotos muito bonitos. Parabéns pela sua dedicação. Beijo.

Roselia Bezerra disse...

Boa Noite, querida Tulipa!
Momento bem veranesco onde as pessoas podem desfrutar o mar no entardecer sem uma multidão a se espremer num pedaço de areia.
Muito bonito momento partilhado!
Gostei muito de ter passado por aqui e apreciar. Muito obrigada.
Tenhadias felizes e abençoados!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Sofá Amarelo disse...

A melhor reportagem que vi até hoje sobre Arte-Xávega... e digo isto sem favores, já vi várias reportagens em jornais e revistas (inclusive eu próprio já fiz centenas de fotos) e nenhuma mostra o quanto pode ser discreta uma acção destas. Geralmente, o que se mostra é o peixe a arfar preso nas redes, é um grande grupo de pessoas à espera do peixe como abutres, mas tu com esta sequência de fotos no fundo mostras o que se pretende, com um respeito enorme pelas pessoas, onde não faltam as inevitáveis gaivotas, anunciadoras da chegada do pescado.

O que mostra aqui é um verdadeiro documento histórico pois não se sabe até quando as leis europeias vão deixar que se pesque assim, por isso guarda bem estas fotos, elas são uma relíquia.

Quanto à praia ao fim da tarde, é quando ela tem mais magia. É geralmente quando eu vou também, embora às vezes nessas praias a temperatura caia vários graus em 5 ou 10 minutos, enquanto o vento e o frio se entranham no corpo. É a natureza a ensinar-nos quem manda :-)

Pedro Coimbra disse...

O fim da época balnear.
Bjs, bfs

Os olhares da Gracinha! disse...

Uma arte que adoro é seus olhares estão fantásticos! bj

Acrescenta Um Ponto ao Conto disse...

Caros amigos leitores,

convidamos-vos a ler o capítulo 10 da nossa história escrita a várias mãos "Janelas de Tempo"
http://contospartilhados.blogspot.com/2018/09/janelas-de-tempo-capitulo-10.html

Votos de excelente fim-de-semana.
Saudações literárias!

Graça Pires disse...

O fim do dia na Costa da Caparica. Lindíssimas as imagens que captou!
Uma boa semana.
Um beijo.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, maravilhosa seleção de belas fotos da vida natural, uns esperam o resultado da pesca, outros (Gaivotas) já o petisco está garantido.
Feliz semana,
AG