sábado, 13 de abril de 2019

THE AVENUES - BAHREIN




Assim que entrei no "Souk" vi mesas e bancos cobertos 

com almofadões de cores bem vivas, decoração típica 

e captei este bule de chá em cima de uma das mesas 

que não tinha ninguém... continuei o meu passeio

 e quando regressava ao autocarro...




numa das mesas encontrei estes três amigos 

partilhando o momento que eles tanto gostam, 

de beber chá em conjunto... e, andei de roda deles 

a ganhar coragem para pedir autorização de fazer uma foto, 

até que... finalmente aproximei-me e comecei uma conversa 

com eles e deixaram fotografá-los, ainda nos rimos um pouco, 

pois perguntaram-me:

se queria captar os três ou só um "em especial"...





pois... ainda não entendi a semelhança que existe em todos 

os souks que tenho visitado, seja na Tunísia, em Marrocos 

e ali no Bahrein...há sempre lojas com muitos candeeiros 

bem coloridos...na imagem abaixo captei esta placa 

e perguntei a umas pessoas na rua o que significava 

disseram-me que era um ALERTA para as pessoas não fumarem!






a caminho do autocarro passei numa "POLICE STATION" 

e vi alguns dos carros estacionados à porta





passei também numa "Praça de Táxis" e captei um edifício 

com uma foto do Monarca; O Bahrein é uma monarquia 

absolutista com um primeiro-ministro e um gabinete integralmente

 apontados pelo Monarca. O actual primeiro-ministro 

que se mantém no cargo desde 1971, bem como a totalidade 

do seu gabinete, são da família real.





Próximo do estacionamento, onde estava o autocarro 

à nossa espera havia vários Hotéis, mesmo no centro da cidade; 

depois seguimos e, através da janela ia captando 

outros lugares interessantes e alguns arranha-céus!






até que, por simpatia do motorista a quem o Guia pediu, 

paramos apenas 10 minutos para fazer umas fotos neste local 

...chegamos em frente ao WORLD TRADE CENTER 

do Bahrein, este é o primeiro edifício em grande escala 

que irá introduzir o uso da energia eólica para suprir 

parte das necessidades do edifício.  





na foto abaixo, o edifício da Biblioteca de Manama, 

próximo da Mesquita que ia visitar a seguir, 

captei a imagem pela janela do autocarro...




e, cá estou eu... no Bahrein, 

em frente ao WORLD TRADE CENTER



12 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde!
Que riqueza de fotografias!! AMEI

*
Olhos nos olhos, rostos carentes, tantos desejos...[POETIZANDO...]
Beijos e um execlente fim de semana.

tulipa disse...


Bahrain World Trade Center

ARQUITETO: WS ATKINS
Ano de Construção - 2003-2007
Altura - 240m
Pisos - 53
Área construída - 88.617 m2
Localização - Bahrain

Este é o primeiro edifício em grande escala que irá introduzir o uso da energia eólica para suprir parte das necessidades do edifício.

O plano consiste num hotel e um centro comercial existente numa área de prestígio junto ao Golfo Pérsico.

Conceito
Os dois edifícios do complexo são inspirados pela forma das velas dos barcos que usam energia eólica para navegar... como o WTC usa energia eólica para suprir as necessidades das atividades que ocorrem no interior.

O projeto também tem como objetivo mostrar ao mundo que os países árabes Unidos, mundialmente conhecida por sua produção de petróleo, também foram criados com as energias renováveis.

Energia Eólica
As duas torres são ligados por três pontes que suportam cada uma das três turbinas eólicas que compõem o projecto.
...é projetado para otimizar vento sobre a área onde as turbinas estão localizados à taxa natural o aumento de até 30%.

No caso do WTC poderia ser realizado porque o desenho do suporte 3 diâmetro da hélice convencional de 29 metros cada. Apesar de turbinas é projetado para minimizar a vibração e ruído são apenas uma pequena variação das hélices utilizadas em parques eólicos e, portanto, o orçamento a ser dedicado à pesquisa científica foi mínima.

Com as três hélices operando a plena capacidade eles podem fornecer a equipe entre 11 e 15% da demanda de energia que equivale a entre 1100-1300 megawatts por ano.

Espaços - As duas torres são colocadas numa altura de 3 andares suberraneos mais andares que abrigam o complexo de entretenimento que inclui restaurantes, um complexo de lojas e estacionamento.

tulipa disse...


BAHRAIN – MANAMA
Apesar de realmente achar que Bahrain nao tem tantos atrativos turisticos quanto alguns de seus vizinhos do Golfo, foi minha escolha, para poder conhecer.
Conheci Manama, a capital do reino! Aprendi bastante sobre a cultura árabe do Golfo e sobre o povo de Bahrain, muito hospitaleiro e educado!

Alguns fatos que valem a pena mencionar sobre Bahrain:

– O pais pode ser cruzado de ponta a ponta em apenas 4 horas

– Eles tem mais de 400 mesquitas só na capital

– Apesar de ser uma ilha, Bahrain nao tem “praias”, pois toda costa do pais é propriedade privada da familia real! Mas alguns resorts conseguiram concessão de uso e oferecem praia particular aos seus hospedes.

Bahrain tem uma cultura e costumes diferentes do resto da Penisula Arabe pois passou centenas de anos isolado do mundo e seus vizinhos – a ponte que os conecta a Arabia Saudita só foi construida no final da decada de 1980!

Eles sao viciados em futebol e Formula 1.

O que mais me surpreendeu foi descobrir que os Portugueses foram uns dos primeiros “colonizadores” da Ilha
Nunca tinha ouvido falar em Portugueses no Bahrain (que na época não era Bahrain ainda)...

tulipa disse...


O Forte do Barém também denominado como Forte português da ilha de Barém localiza-se em Manama, capital do Barém, no golfo Pérsico.

A primitiva ocupação humana do seu sítio remonta a uma elevação artificial iniciado por volta de 2 300 a.C. e ocupado sucessivamente até ao século XVI, quando foi aproveitado pelos portugueses para uma fortificação que atualmente lhe dá nome: "qal'a", que significa "forte".

Entre outras funções, ao longo de sua história serviu como capital dos Dilmun – uma das mais importantes civilizações da região.

Foi conquistada em 1559 por forças portuguesas sob o comando de D. Antão de Noronha, então capitão de Ormuz. Estes ocuparam a fortificação árabe então existente, no topo da elevação com doze metros de altura.

Em 1561, a fortificação foi ampliada e modernizada, com traça do arquiteto obidense Inofre de Carvalho, que lhe acrescentou uma área abaluartada, diretamente inspirada nas gravuras do tratado de Pietro Cataneo.

Embora a documentação sobre esta estrutura seja escassa, uma representação da "ilha de Barém", no "Livro das Plantas das Fortalezas", de autoria de Pedro Barreto de Resende, apresenta-a com planta no formato quadrangular, com torreões de planta circular nos vértices.

Os Portugueses foram expulsos do Barém em 1602, pelas forças do xá Abas I.

Cerca de 25% do sítio já havia sido escavado revelando estruturas de diferentes tipos desde 1954:
residenciais, públicas, comerciais, religiosas e militares. Em conjunto, testemunham a importância do local, um entreposto comercial ao longo dos séculos.

O sítio arqueológico encontra-se classificado, desde 2005, como Património da Humanidade pela UNESCO.

O Forte do Barém sofreu recente intervenção de conservação com a interveniência da Fundação Calouste Gulbenkian.

chica disse...

Há tanto a ver e conhecer por lá! Lindas tuas fotos e bem mostrados os enfeites e detalhes! beijos, chica

Sofá Amarelo disse...

Um bule em ouro? Assim é que devíamos beber o chá, pois é uma bebida dos deuses... todos os dias bebo pelo menos um litro de chá, embora em porcelana vulgar...

Aqueles indivíduos devem ter tanto dinheiro na ponta de uma unha como tu ou eu tivemos ao longo da vida, hehe... mas o que achei piada foi a tua indecisão, depois coragem e finalmente o resultado traduzido numa grande foto, eles com excelente disposição... já agora falaste que língua com eles?

Puxas, tudo tão iluminado na foto seguinte, incrível como captaste uma infinidade de candeeiros do mais original que já vi... para as pessoas não fumarem ou não cuspirem? Fiquei na dúvida!

Belos carros da Polícia e os taxis escrito à ocidente. Obrigado pela informação sobre parte da política no Bahrein, desconhecia. Depois foste captando pedaços de uma cidade e de uma civilização que muitos de nós consideramos diferente da nossa - por desconhecimento - e que se calhar não é assim tão diferente... digo eu!

E que edifíicios, enquadraste muito bem até porque presumo que não devas ter tido muito tempo para focagens e outros pormenores. Ainda por cima apanhaste mesmo num ângulo que poderia ser difícl de encontrar ou obter... ah,m e realmente só faltavas tu... ainda bem que sempre arranjas alguém que "cuide" de ti, o que com o teu feitio não é difícil. Parabéns pelo post e continua.,..

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida amiga Tulipa!
Bonito demais ver sua felicidade em poder conheer lugares lndos e sinto sua alegria em poder pisar solos assim e ainda contemplar tanta beleza como as que vejo aqui.
Obrigada pela partilha enriquecedora.
Tenha dias felizes e abençoados!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

CÉU disse...

Olá, Tulipa!

Está um pouco mais animada? Perdeu fotos de sítios onde esteve? Deixe lá! Talvez volte a esses lugares outra vez, afinal a terra é esférica.

Eu ontem li o seu "comentário", mas o sábado foi dia de limpezas e hoje tive mesmo que sair, fazer compras e encontrar-me com duas pessoas amigas e já cheguei a casa tarde.

Os seus dois comentários ainda estão por publicar, tal como outros, mas felizmente, chegou tudo nos conformes. Pra semana, passá-los-eis e comentarei este post e o outro no "Ano Sabático".

Beijos, mta serenidade e boa semana.

Pedro Coimbra disse...

Muito pouca História e muito dinheiro.
É assim um pouco por toda essa zona.
Bjs, boa semana

Graça Pires disse...

Você capta bem as coisas que fotografa.
Uma boa semana e uma Páscoa feliz.
Um beijo.

CÉU disse...

Olá, Tulipa, eu, de novo!

Deslumbra-me o Mundo Árabe e o Bahrein dele faz parte. É tudo em grande. Que fascínio pelos edifícios e pelo chá de k tb gosto.

As fotografias estão um colosso e os três árabes a beber o famoso chá está o máximo. Riqueza e mais riqueza, mas pouca limpeza. São todos feios e mega gordos-rs. Não fazem nadica.

"Comi" as fotos e fico-lhe grata por estas informações. Quem sabe um dia, eu não irei ao Bahrein?

A Tulipa na foto está mto bem. Sorriso discreto, mas mto feliz. Gostei de a ver!

Beijos e boa semana.

Maré Viva disse...

È verdade, és eximia em captar tudo o que vês, para teres o prazer de depois nos mostrares.
Já posso dizer que conheço algo do Bahrein, mesmo sem nunca lá ter estado!
Sabes, gostei da maneira como usaste "as minhas palavras" para fazeres o teu comentário lá, no Barlavento!
Uma Santa Páscoa, onde quer que estejas...
Bjs.