segunda-feira, 31 de outubro de 2011

CALVI - LEGIÃO ESTRANGEIRA



NA CHEGADA A CALVI dirigimo-nos logo para a zona da CITADELA DE CALVI; Lá bem no alto visitei o MUSEU DA LEGIÃO ESTRANGEIRA.
Desde 1967, CALVI acolhe o 2º regimento de paraquedistas da LEGIÃO ESTRANGEIRA.
A Legião Estrangeira Francesa é uma UNIDADE MILITAR DA FRANÇA, criada no século XIX, atualmente uma tropa de elite. É a mais famosa legião estrangeira ainda em operação no mundo.





Desde 1967, a cidade acolhe o 2º REGIMENTO DE PARAQUEDISTAS DA LEGIÃO ESTRANGEIRA. A Legião Estrangeira Francesa é uma unidade militar da França, criada no século XIX, atualmente uma tropa de elite. É a mais famosa legião estrangeira ainda em operação no mundo.
A Legião divide-se em regimentos de dez companhias, algumas especializadas (reconhecimento, morteiros, blindados leves, e outras).
• 1e. Régiment Étranger (1º Regimento Estrangeiro), em Aubagne, França.
• 4e. Régiment Étranger (4º Regimento Estrangeiro), em Castelnaudary, França.
• 5e. Régiment Étranger (5º Regimento Estrangeiro), na Polinésia francesa, no sul do oceano Pacífico (esta unidade foi dissolvida em 30 de junho de 2000).
• 1e. Régiment de Étranger Cavalerie (1º Regimento de Cavalaria Estrangeiro), em Orange, França.
• 2e. Régiment d'Infanterie de Étranger (2º Regimento de Infantaria Estrangeiro), em Nimes, França.
• 3e. Régiment d'Infanterie de Étranger (3º Regimento de Infantaria Estrangeiro), em Kourou, Guiana francesa.
• 2e. Régiment de Étranger Parachutistes (2º Regimento de Pára-quedistas Estrangeiro), em Calvi, ilha da Córsega.
• 1e. Régiment de Étranger Génie (1º Regimento Estrangeiro de Engenheiros de Combate), em Laudun, França.
• 2e. Régiment de Étranger Génie (2º Regimento Estrangeiro de Engenheiros de Combate), em Marseille, França.
• 13e. Démi-brigade de la Légion Étrangère (13ª Meio-brigada da Legião Estrangeira), em Djibouti, África.
• Détachement de la Légion de Étrangère de Mayotte (Destacamento da Legião Estrangeira de Mayotte), em Dzaoudzi, ilha de Mayotte.







O regimento mais conhecido é o 2º Regimento Estrangeiro de Páraquedistas, com quatro companhias de combate, que se orgulha de poder montar uma operação para qualquer parte do mundo em apenas 24 horas.

22 comentários:

tulipa disse...

Os legionários recebem seus vencimentos quase que totalmente livres de despesas.

As refeições feitas no quartel são gratuitas de segunda a sexta-feira, e nos finais de semana pagas à parte (cerca de 4 euros – cerca de 10 reais).

Aos salários iniciais, em torno de mil euros para quem serve no continente e de 1,5 mil para os alojados na ilha da Córsega, juntam-se os prémios e bonificações pagos, quando os soldados partem em missões fora do território francês.

Conforme o caso, os soldos podem até triplicar.

A rotina na ilha da Córsega, se resume a fazer faxina, cuidar das fardas, lustrar botas, praticar exercícios físicos e estar sempre "ligado", pronto para ser chamado a qualquer hora do dia ou da noite.

Nos finais de semana, impecavelmente uniformizados, os legionários são liberados para ir à cidade, apesar de que nem tudo o que diz respeito à vida mundana é permitido.
Nada de discoteca, de baladas com mulheres ou bares mal afamados. "Somos controlados. Temos que ter um comportamento exemplar", acrescentou.

Catarina disse...

Já fiquei mais rica em conhecimentos.
Abraço

Andradarte disse...

Gostei de saber.......pois julgava que
tinha acabado com a libertação da Argélia....Fiquei curioso...farei mais
umas pesquisas..
Beijo

tulipa disse...

Ainda que convicto do que faz, S. não recomenda a ninguém o alistamento.
"Não me arrependo.
Queria conhecer o mundo, me aventurar.
Ninguém morre antes da hora.
O que não posso fazer é enganar os que querem vir, dizer que isso aqui é fácil.
Eu mesmo não sei te falar se vou aguentar até o fim.
Tem uns caras que não suportam e caem fora", alertou.
O legionário disse que não sabe se vai pedir a cidadania francesa. "Não faço planos", concluiu.
Caso fique até o final do contrato, que termina em dois anos, S.pode trazer para casa, por baixo, mais de 50 mil euros.

Para isso, além de economizar, ele ainda tem que sair ileso de missões em países como o Gabão, Afeganistão, Kosovo ou qualquer outro lugar do mundo onde estoure um conflito que afete a França

Sight disse...

Conheço um ex legionário / paraquedista , este luso descendente combateu em diversos cenários em conflito armado aberto e em muitos outros que não chegaram às notícias!...
Este bravo, goza hoje a sua reforma pacificamente... na sua loja de animais... entre os peixinhos e gatinhos! Algures por aí...
Para se defender a Paz...à que ser forte!
Boa reportagem ;)

Manuel Luis disse...

Em nome da Paz é assim.
Estive 3 Anos a cumprir o serviço militar em Angola onde residi 22 Anos. Quando pedir a reforma ainda tenho que pagar ao estado os descontos que dizem não ter feito na altura.
Gosto do tema.
Quando é que apareces para retratarmos aqui a volta?
Beijo

Zé Povinho disse...

Tive a minha parte, não gostaria de repetir a dose de ...farda.
Abraço do Zé

Luís Coelho disse...

Não conhecia esta Legião.
Gostaria de conhecer e visitar.
Fui militar e existem coisas que nos agradam recordar.

A farda é um símbolo de respeito e quem a usa deve comportar-se como um elemento da farda e da organização.

O dinheiro não é assim tão importante, embora seja agradável fazer uma economia para segurança futura. O meu primeiro vencimento nas Caldas da Rainha foi de sete tostões. Foi uma humilhação para todos receber aquele valor - 1971

Obrigado pelo apoio ao livro.
Esperamos mais dicas e posições de apoio e incentivo.

Pedro Coimbra disse...

Um local lindíssimo!!
Passo por aqui mais vezes mas não assinalo a passagem.
Vou fazê-lo com mais frequência.

EDER RIBEIRO disse...

é muito bom vir aqui, pois saio sabendo mais. Bjos.

Duarte disse...

Sempre representou, para mim, um grande atractivo o mundo militar. Estive três anos na FAP.
Conheço os feitos da legião estrangeira mas não conhecia este museu. Agradeço a divulgação.
Um grande abraço

mfc disse...

Lembro-me quando era catraio de ler as aventuras da Legião Estrangeira!!
Ficava empolgado com aquelas "façanhas"!!

Baby disse...

O que este moça descobre!
Ainda bem que existem pessoas assim e ainda bem que dividem os seus conhecimentos com os outros mortais...
Beijos.

Maria disse...

Excelente, aqui viajamos e aprendemos.
Beijinhos
Maria

xistosa - (josé torres) disse...

Em minha casa cada refeição custa todos os dias o mesmo, ou melhor, o mesmo a dividir por dois, sendo o mesmo, a despesa diária (rsss, rsss, rsss).
Se aparecer alguém... bem, tem que pagar...
Preferia ser agricultor e andar de enxada na mão do que legionário com uma arma... esta só se fosse para correr com os parasitas que estão no poleiro, ou estiveram...

Cumprimentos.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Tulipa, gostei da reportagem...Espectacular....
Cumprimentos

Fernando Santos (Chana) disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Jorge disse...

Muito se aprende passeando no teu espaço! Uma boa semana.

Graça Pereira disse...

Uma crónica fantástica e elucidativa que gostei muito!
Desculpa só ter vindo agora mas. ando com o meu tempo desorganizado!
Um beijo.

Graça

Maria Valadas disse...

Tulipa,
Comentei há relativamente poucos dias neste post... e para surpresa minha não aparece o respectivo comentário.

Não sei que pensar...

Beijo.

Maria

Dulce B. disse...

mais uma das tuas excelentes reportagens q me deixam cheia de vontade de ir mesmo ao local ver, bjitos.

Jardineiro do Rei disse...

Tulipa...
Eu tive o privilégio de conhecer um legionário que combateu na Argélia, então colónia francesa. Eu era militar na altura. Ambos combatemos em Africa. E ambos fomos feridos em combate. Entre nós criou-se uma relação de amizade e confiança que se prolongou no tempo ao longo de muitos anos. Parece que as dificuldades e os perigos cimentam as relações e os sentimentos entre as pessoas. Infelizmente ele partiu... Ganhou muitas batalhas, ganhou cicatrizes. Perdeu a ultima e trágica batalha contra um inimigo feroz e traiçoeiro. O cancro.

um abraço

joão