domingo, 16 de outubro de 2011

ÎLE-ROUSSE - CÓRSEGA

Esta é das primeiras imagens que tenho de Île-Rousse, quando desci do autocarro, descobri esta baía de águas transparentes.

Aquele "farol" indicou-me o caminho!

De tudo o que tinha visto até este momento, foi desta pequena Vila à beira-mar que gostei, senti-me bem;

andei sozinha, ao meu ritmo, ao meu gosto por aquelas ruelas estreitas, cheias de lojinhas, esplanadas, casas dos seus habitantes, turistas de várias nacionalidades ali de chinelo no pé, descontraídos, o calor era muito.

A placa abaixo encontrei-a junto a uma passagem de nível, mesmo em frente à praia, onde passa um combóio que percorre todas as pequenas localidades junto à costa; o combóio passou naquele momento, foi bonito de ver!




estas 2 imagens foram captadas no

MERCADO COBERTO

de

ÎLE-ROUSSE





muitas lojinhas de artesanato corsa




MERCADO COBERTO



ARQUITECTURA DE SUAS CASAS








16 comentários:

Catarina disse...

Que mercado interessante.
Como faz bem viajar!

tulipa disse...

vou deixar aqui um relato de outros turistas que também visitaram ÎLE ROUSSE:

No final da tarde, pegamos um trem até Île Rousse, no norte da Córsega.
Tínhamos a intenção de ir até Calvi, uma cidade bem conhecida, mas depois da overdose turística de Porto Vecchio, queríamos um lugar mais tranquilo.

De Bastia também é possível ir até o Norte de ônibus. Para quem não tem problema de sacudir durante horas nas curvas sem que o estômago chegue até a boca, parabéns.
Para os mais fracos, como eu, aconselho: pegue o trem.
DE TREM ATÉ ÎLE-ROUSSE A PARTIR DE BASTIA SÃO 2H 30M por um caminho que corta as montanhas.
A vista é linda e a viagem é agradável.
O motorista teve que parar varias vezes durante o trajeto porque as vacas da região são suicidas.

Numa das tentativas de salvar os rebanhos corsos, pudemos fazer algumas fotinhos da janela do trem das cidadezinhas perdidas nas montanhas.

Também pudemos observar o pôr-do-sol no Mediterrâneo.
Como o próprio nome já diz, Île Rousse é uma ilha vermelha; as ilhotas rochosas de pórfiro (rocha magmática de cor avermelhada) justificam a denominação.

A ILHOTA DE LA PIETRA é a mais famosa do lugar.

Logo depois de nos hospedarmos, nos dirigimos ao oficio de turismo para saber o que tinha de melhor no lugar e podermos organizarmos nosso tempo.
Além das praias da própria cidade, acessíveis e a cinco minutos a pé, também fomos informados que o mesmo trem que pegamos de Bastia fazia o contorno da costa e parava em varias prainhas.

Outra opção era pegarmos um barco até as praias inacessíveis e distantes de Île Rousse, como as praias da reserva ecológica de Saleccia.

Jorge disse...

Bonito. Quando vou a qualquer lado, também gosto de me perder por becos e vielas!

mfc disse...

Fez-me bem visitar contigo esta linda ilha!

retrato... disse...

pelas fotos com que nos presenteias, fica o prazer de conhecer outros cantos do mundo onde se pode apreciar costumes de grande beleza e muito interesse.

obrigado pela tua visita e comentário em meu Blogue.
Manuel da Fonseca tem o seu retrato cultural que não se perde.

Carlos Ramos disse...

Viajar é Viver.

Turista disse...

Olá Tulipa, vim retribuir a tua visita à Turista e deparo-me com um blog, todo catita. Vou Voltar. :)

Sonhadora disse...

Minha querida

Deve ter sido uma viagem inesquecível, pelas fotos faz-se uma pequena ideia.

deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

looking4good disse...

Ui... sempre a viajar! .. e as crónicas que nos deixas acompanhadas smpre pelas apelativas fotografias, são melhores promoções do que qualquer roteiro promocional de viagens. Uma boa semana, cheia de sorrisos, flores (tulipas... é claro) e poesia.

O Profeta disse...

O tempo corre em sua em sua invisível viagem
Um Santo nunca dorme no altar
Um barco sobe e desce cada onda do Mar
Um cais de partida também acolhe o chegar

São tantos os mistérios que encontrei na vida
Cruzei com gente desconhecida que conhecia bem
Falei e falo com gente que partiu desta vida
Sinto tanto aroma perdido que este tempo guarda e tem

Mágico beijo

O Profeta disse...

O tempo corre em sua em sua invisível viagem
Um Santo nunca dorme no altar
Um barco sobe e desce cada onda do Mar
Um cais de partida também acolhe o chegar

São tantos os mistérios que encontrei na vida
Cruzei com gente desconhecida que conhecia bem
Falei e falo com gente que partiu desta vida
Sinto tanto aroma perdido que este tempo guarda e tem

Mágico beijo

MACAU BANGKOK O MAR DO POETA disse...

Cara Amiga Tulipa,
Num lugar calmo nos sentimos bem, as fotos falam por si.
Eu já não terei possibilidades de ir até ele maravilhoso local.
Adorei as fotos e o seu bem descriminativo relato.
Abraço amigo

as-nunes disse...

Boa reportagem, nem é preciso repetir.
As fotos são sempre de marca de primeira...como já estamos habituados.
Só me custa comentar o passeio, que eu pouco saio deste rectângulo à beira-mar plantado.

Esses passeios ficam com um aspecto de invejar.

Beijinhos, Tulipa Moçambicana.
António

Manuel Luis disse...

Quando tiveres uma lágrima de tristeza,parte-a ao meio, da-me metade e chorarei contigo.
Quando eu tiver um sorriso de alegria dou-te inteiro só para te ver feliz.
Beijo

. intemporal . disse...

.

.

. muito bonito .

.

. minha querida amiga Ester .

.

. as águas translúcidas . o farol . [.sou ir.remediavel.mente apaixonado por faróis.] . as especiarias com as suas cores fortes e os seus cheiros presentes . os doces regionais e o especial destaque para as i.númeras lojas de artesanato . pelas quais . seja em que parte do mundo for . sou completa.mente elouquecido .

.

. muito bonita esta Sua viagem .

.

. espero ansiosa.mente por fevereiro . onde rumarei duas semanas para o médio e extremo oriente .

.

. um bom fim de semana .

.

. um beijinho meu . sempre amigo .

.

.

rosa dourada/ondina azul disse...

Viajei contigo, nesta bela Ilha e Mar à vista!

Beijo p ti:)