sábado, 24 de julho de 2010

FINALMENTE...OS GOLFINHOS!!!

Os dias quentes estão aí, por isso não há desculpas para não acordar cedo e partir em busca de novas aventuras. Organize este género de passeio para um sábado de manhã.
Eu fiz durante grande parte do dia de sábado, das 10h às 17h.
Houve um toque de alvorada bem cedo, o que não é costume…porque aproveito os fins de semana para colocar o sono em dia.
Depois de um grande pequeno-almoço em família, diga aos seus filhos que hoje vão visitar uns amigos seus, mas como estes moram perto da praia precisam de levar um saco com protector solar, chapéu, toalha e fato de banho. Prontos? Então façam-se à estrada e rumem em direcção a Setúbal.
O passeio começa cedo e não convém perder pitada!
Assim que chegarem a Setúbal, vão deparar-se com uma cidade piscatória, detentora de uma das mais belas baías do mundo. Sigam em direcção à Doca de Pesca. É aqui que vão encontrar uma ou duas empresas pioneiras na observação dos golfinhos, irão proporcionar-vos um passeio inesquecível de três horas, a navegar pelas águas límpidas e azuis que caracterizam a costa da Arrábida.
Há vários tipos de barco; um deles é mais uma surpresa fantástica de que os seus filhos não estão à espera. O Esperança é um veleiro catamarã de 75 , com uma rede flutuante. Um barco lindo, onde se podem deitar na rede e desfrutar o som do mar ou ver os próprios golfinhos a passarem por debaixo do catamarã. Tenham a máquina à mão para filmar ou fotografar, pois vai ser uma experiência brutal!

Não foi neste género de barco que fui, mas será a minha próxima aventura no Sado, ir num barco onde posso ver os próprios golfinhos a passarem por debaixo do catamarã. Terei sempre a máquina à mão para fotografar.
O que acontece é que nem sempre se conseguem ver os golfinhos, pois apesar de serem residentes naquele local, por vezes, caçam no mar.
Companhia certa neste passeio são as aves que por ali voam (gaivotas há muitas) e
se deixam mergulhar no mar e, claro, o azul tranquilo do céu e do mar....
Já em águas territoriais dos golfinhos, o barco afrouxou a sua marcha, pareceu-me mesmo que tinha desligado os motores, também para não assustar os golfinhos e a inquietação começou a apertar. Ouvi: Os golfinhos estão ali. Não acreditei ser possível ver os golfinhos tão perto de mim e disse à guia: Hum, tenho as minhas dúvidas. Já atravessei vezes sem conta esta baía a caminho de Tróia e nunca os vi. Mas, naquele dia seria diferente.


Calmamente, o barco continuou a navegar pelo estuário até que os golfinhos se aproximem. Depois de os motores desligados, é esperar que os simpáticos mamíferos vos venham cumprimentar. É uma população de 26 golfinhos roazes residentes, cinco deles são crias, quatro juvenis e 17 adultos. Esta espécie é cinzenta-escura no dorso e a cor diminui de intensidade perto da barriga, sendo branca ou até rosa muito clara. Andam grande parte do seu tempo à caça e o seu prato predilecto são os chocos e as tainhas. Como gostam de rasgar as redes dos pescadores para se alimentarem, ficaram conhecidos por roaz.
É um delírio ver estes animais tão perto.
De regresso ao cais, e com alguma sorte, cruzei-me com os golfinhos: nada como acabar em beleza!
É preciso dar algum descanso aos animais porque um dos grandes problemas que enfrentam é o excessivo tráfego marítimo. A viagem estava prestes a terminar, dentro de dez minutos encostamos em Setúbal e saímos para terra.
Na 1ª foto, os que não foram a terra, para um mergulho nas águas do Sado, ficaram descontraidamente a relaxar; ao fundo vê-se as torres de Tróia. Na 2ª foto, vêem-se as gaivotas deslizando nas águas azuis e límpidas do Sado; na 3ª foto mostro o que foi possível captar com a máquina, pois os golfinhos são muito rápidos nos seus mergulhos, mas vi muito mais do que consegui captar. Primeiro do lado direito do barco, ao longe e de repente bem perto de nós, depois apareceram do lado esquerdo, juntinho ao barco, mais de 10, uma família enorme; de tal forma que a curiosidade era tanta que todos os tripulantes foram para o lado esquerdo que o barco ficou demasiado inclinado para a esquerda.

19 comentários:

Luís Coelho disse...

Emocionei-me com este passeio.
Uma discrição com vida e sempre na expectativa desse encontro maravilhoso com os golfinhos.

Ana Oliveira disse...

As fotos dão uma boa imagem da beleza e emoção que deste passeio.
"Inveja" boa deste lado.


Um beijo

Ailime disse...

Túlipa,
Que maravilha esse passeio e o encontro com os golfinhos!
Deve ter sido emocionante!
Beijinhos e continuação de bons e agradáveis passeios.
Ailime

gaivota disse...

são uma maravilha!
também já têm aparecido aqui ao largo da nazaré, são fantásticos!
beijinhos

gaivota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
AFRICA EM POESIA disse...

Lindo o teu passeio.
Um dia destes vou lá...

estes momentos acontecem porque há gente linda como tu...

um beijão

Fa menor disse...

Viagens que valem bem a pena!

Boa semana, amiga!

bjos

Paula Barros disse...

São momentos assim que precisamos viver, nos proporcionar, e levar os que amamos - contato com a natureza, descobrindo sempre novas oportunidades de diversão.

Lendo as palavras pequeno almoço e fato, lembrei dos amigos portugueses. Saudade!

Um maravilhoso passeio você nos proporcionou, e deixa sempre a vontade de conhecer os lugares e vivenciar emoções como as de ver os golfinhos.

abraço

Mar Arável disse...

Os roazes

precisam de paz

Vieira Calado disse...

Por aqui chamam-se tòninhas.

Vêm-se muitas,

mesmo da praia.

Beijoca

Zé Povinho disse...

Um espectáculo recomendável para relaxar e gozar as belezas da natureza.
Abraço do Zé

Rosa dos Ventos disse...

Já fiz esta travessia mas não vi golfinhos!
Bela reportagem...

Abraço

rosa-branca disse...

Bem amiga, estou no distrito e nunca fui ver os golfinhos. Deixou-me com uma vontade enorme de fazer esse passeio. Acho que um dia destes vou.Lindas fotos. Beijo meu

poetaeusou . . . disse...

*
amiga,
como diz e bem o
amigo Vieira Calado,
há uns anitos nadei entre
dois casais de Toninhas,
que experiencia maravilhosa,
rodei no mar, como rolasse
no areal e eles cabriolavam
á minha volta, enviando-me
mensagens corporais, que eu
ainda hoje procuro decifrar !
,
linda,
marés de estima, deixo-te,
,
*

Eärwen Tulcakelumë disse...

Querida que viagem maravilhosa fiz eu aqui ao ler este post. Imagino a alegria do teu ser ao viver esta maravilhosa aventura. Obrigado pela partilha!!!!
Convido-te para mais uma visita ao meu mundo, esta especial que me deixaria muito feliz.
Com carinho aqui deixo pérolas incandescentes de luz.
Eärwen

AFRICA EM POESIA disse...

amiga
vim deixar um beijinho
Foi bom passar por aqui...


POESIA

Horas longas,horas a fio.
Escrevendo à luz do candeeiro mortiço
Mas escrevendo sempre,para poder guardar...
Tudo que surge no momento...

Como um filme...
Tudo tem que ser escrito...
Tudo tem que ser partilhado...

E então à luz do candeeiro
Com a mão já cansada...
De tanto escrever...

Eu continuo a esquecer-me...
Do tempo e da hora
Que estou aqui...
Mas sinto que continuo a escrever...Poesia!...

LILI LRANJO

Maria Valadas disse...

Querida Tulipa,
Foi um prazer ler a tua narrativa na descoberta de sitios tão conhecidos e amados por mim.

Deixa-me acrescentar, seja qual o teu destino de viagem, fazes
com que os leitores (como eu) te acompanhem com entusiasmo.

Bom fim de semana, minha querida.

Beijos.

Maria

Maria Valadas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sofá Amarelo disse...

Tambem andei recentemente em busca dos golfinhos do Sado, fotografei alguns mas ao longe. De qualquer maneira valeu a pena pois eles são seres superiores!