quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

COMO É BOM SONHAR...!!!

FAÇO UMA PAUSA nos posts sobre a viagem à CROÁCIA.
Porque...estou com vontade de...partir...partir para um lugar paradisíaco, esquecer tudo o que faz parte da minha rotina.
A minha escolha recai num lugar de águas transparentes, cor turquesa, calor, aventura.
Isto leva-me a pensar o seguinte:
Será que 38 anos depois de ter saído de África, estarei com muitas "saudades" de lugares paradisíacos, para me aquecer a alma?
Não sei, mas acho que sim. Tocou-me muito a sério uma grande saudade de ver mar daquela cor, com aquela profundidade.
E, quem me conhece sabe bem, que não é o meu género, escolher um local destes para férias...
COMO É BOM SONHAR!!!






VIAJAR é fácil, não requer prática nem habilidade, talento ou competência. Para sair de casa nada mais precisamos do que desejo e disposição. Viajar com arte - olhando para o destino com a vista desembaçada, com a mente aberta para o mundo e os povos -, é tudo o que demanda aprendizado e dedicação. Os viajantes que assim o fizerem sempre retornarão melhores do que foram.

VIAGENS enriquecem o espírito, aprimoram a cultura e acentuam a educação. Conhecer outros países, cidades e povos amplia para o bem nossa maneira de enxergar e compreender o mundo e as pessoas.

Viajando - e observando com sensibilidade o que se vê - nos tornamos mais complacentes, menos pretensiosos, deslimitamos os nossos horizontes e atenuamos aquela tendência natural à pretensão e ao preconceito que (quase) todo ser humano carrega consigo.
NÃO há nada melhor do que viajar conhecendo antecipadamente um pouco da cultura, da história e dos costumes dos lugares que visitaremos.
É a maneira mais eficaz de potencializarmos os prazeres de uma viagem. Quando as planejamos adequadamente, tudo tende a correr bem e as surpresas revelam-se agradáveis. Todo o nosso tempo é naturalmente dispendido em conhecer, ver, absorver e aproveitar.
Já o tempo gasto na resolução de contratempos decorrentes da falta de planeamento é tempo perdido, desperdiçado. Costumo dizer que programar uma viagem é quase tão bom quanto vivenciá-la.
ESCREVER sobre destinos não deve ser apenas recomendar um bom lugar para dormir, onde ir, o que ver, o que comer e como locomover-se.

15 comentários:

Jorge disse...

E eu, se pudesse viajar, seria como um barco à deriva...sem velas...sem remos... só os olhos e a alma à janela!

Multiolhares disse...

todas as pessoas que conheço que viveram em Africa de vez em quando toca essa nostalgia
Bj

Ana disse...

Tens razão! Programar uma viagem, já é viajar!
Que o mar esteja à tua espera ... azul, morno, transparente!
Um beijo *

mfc disse...

A preparação da viagem é uma das melhores fase da mesma.
É embrenharmo-nos e percebermos o que vamos ver e viver...!

Cristina Fernandes disse...

Partir é sempre um desafio na viagem e quando não conhecemos o local, convém algum planeamento, sem dúvida.
Bjs
Chris

Lilá(s) disse...

Enquanto a chuva bate nas vidraças, eu vou sonhando...
Bjs

rosa-branca disse...

O sonho e a esperança são um casal maravilha. Impossível morrerem ou viverem um sem o outro. Beijos com carinho

xistosa - (josé torres) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
xistosa - (josé torres) disse...

Porque eu também gosto de viajar. Gosto muito. Tanto que para 20 dias de sol e mar quente, faço 1200 km. Sou eu que me conduzo. Nem a idade me atemoriza o prazer que sinto, mesmo antes de chegar. Por isso, agora, “vou tentar cursar” de taxista materialista, deste meu mundo confinado ao INSÉTE e ao meu Porto e arredores ou até onde o meu carro me levar. É que distância que o meu carro não abarcar… só existirá o que filosoficamente se denomina incognoscível. Tenho um filho a trabalhar em Manchester (médico dentista). Comprei um carrito a gasóleo para poluir o ambiente até lá (só uma vez). Estou velho para andar pela esquerda e muito menos para entrar em rotundas (nestas, é mesmo difícil para carros que não estejam habituados, rsrsrs). Não tive nenhum acidente, mas não me sentia seguro a dominar a fera e o seu terreno. Foi uma vez para nunca mais; desisti. Comprei fraldas e calmantes e três idas e ‘voltas’, de avião, depois, digo que nunca mais. Não tenho necessidade de sentir medo do nada e continuar a sentir um aperto. Agora tenho a certeza que se me transportarem para um paraíso de água tépida e areia (como Cozumel ou outro “cozumel” qualquer, Brasil incluído), nunca mais voltaria. Não sei… ainda não morri e portanto não balbuciei a última palavra. Vou matutar! Um bom domingo.

. intemporal . disse...

.

.

. viajar . é tão so.mente ou a.penas viver . e re.viver cada vivência de um ser vivente .

.

. eu estou quase de partida . sempre a oriente . porque lá a distância entre a terra e o céu é sempre residual .

.

. um beijo meu .

.

. um bom fim.de.semana .

.

.

Luís Coelho disse...

Como são lindos os passeios e tantas viagens que fazemos com os olhos fechados. Sonhos que nos dão asas e tanta liberdade.
Entramos em tantas cidades que são apenas nossas e aqueles cruzeiros que se atrasam em partir...
Amiga, a vida é mesmo uma viagem que nos oferece cada dia num presente de surpresas boas e outras...nem tanto.

Nada adianta querer as coisas como desejaríamos que elas fossem.
É preciso amar o que temos e o que somos. O resto....um dia se verá...
Beijinhos cá de casa.

AFRICA EM POESIA disse...

tulipa

Fiquei preocupada com o teu recolhimento.
Menina acorda e não deixes que a solidão te invada.
Eu também sinto a preocupação mas tenho a certeza que os filhos vão estar sempre.

Não deixes que o coração fique só.
Numa das minhas fases dificeis da vida em Pamplona nos 45 dias que estive lá só para fazer radioterapia. o medico dizia. aproveite o tempo não tenha tempo para pensar.
E eu pintei . escrevi,bordei..fiz tudo para ocupar o tempo e ...consegui.
Portanto amiga... toca a saltar e fazer coisas... Se quiseres vem atá Aveiro vou ajudar-te a fazer coisas bonitas.
Um beijo no teu coração

Luís Coelho disse...

Bom dia querida amiga
Gostaria de ajudá-la nesses momentos que mais doem.
Desejo que acorde todas a manhãs bebendo largas golfadas de Sol e renovando-se na esperança de dias menos cinzentos.
Cada um de nós fará a sua própria caminhada. Precisamos de voltar a ser como somos e aceitando o que temos.
Quem sabe se tudo isto que agora lhe causa sofrimento não seja o melhor para si....?!
Beijinhos cá de casa e uma esperança de que este retiro seja um encontro consigo própria, com a sua felicidade.
Faça uma terapia.
Escreva. Invente histórias.
Todos nós, falo por mim, somos seus amigos e estamos aqui para lhe dar o carinho e aquela força que lhe faz falta.
A Lili Laranjo já aqui lhe transmitiu conselhos de ouro.
Não deixe que os outros a façam como eles querem.
Desejo que consiga vencer estes momentos que lhe causam tanto sofrimento.

Eduardo Aleixo disse...

Concordo com as tuas considerações sobre Viagens. Também adoro.
Desejo que esta viagem te enriqueça espiritualmente.
E que nos tragas boa prosa e bnoas imagens.
Um abraço.

Duarte disse...

TU, mulher activa, criativa, comunicativa... que tanto nos enamora com narrações de magnificas viagens como de excelentes exposições, tem, por força, de passar por momentos menos intensos, sem permitir que lhe invada a dona melancolia. Para isso é bom rodear-se de bons amigos, sim, daqueles que sempre estão dispostos a uma boa conversa na frente dum café ou duma grande borga. Já sei que nem sempre é assim, e que não é fácil encontrar seres assim. Considero que chegou, para ti, o momento de pensar firmemente nisso. Verás que acabou a melancolia e a solidão. Rodear-te de amigos autênticos, que te queiram tal e como es.
Certas pessoas não sabem dar só querem receber e quando o receber acaba desaparecem. Por isso tanto custa fazer bons amigos.
Que a vida te sorria sempre e que sejas imensamente feliz, Sei que o mereces. Elege com inteligência quem te convém. Nada de pão para hoje e fome para amanhã.

Recebe todo o meu afecto num grande abraço e aprece sempre, verás que existe reciprocidade